4 de abril de 2009

A Questão - Segunda Parte


Eu ainda estou com o corpo no chão e a neve me cobre, como se fosse cacos de vidro em cima de meu corpo. Eu acordo, e noto que estou de máscara, enquanto estiver com ela, posso fazer mais coisas do que aquele garoto do orfanato que tinha medo das freiras. Eu posso ser mais que um homem, eu posso ser um homem sem face. 

Eu me levanto, algumas pessoas estão em volta de mim. Eu sumo dali, e vou até a minha casa, meu esconderijo secreto. Eu ainda estou cambaleando, a velha senhoria me olha, não sei o que ela deve estar pensando, mas não é nada bom. Karen tem dois filhos eles também me olham torto principalmente Thomas. 

Karen – Thomas volte para casa 

Thomas – Mas mãe o que houve com ele ? 

Karen – Não ligue para esses drogados. 

Eu entro em minha casa, e vejo meus e-mails. Meu computador é invisível, nem o governo pode rastreá-lo. Eu encontrei algo fascinante, Doutor Marcus Valentine sumiu. Ele era do projeto Cadmus. Hoje em dia ninguém sabe quem manda naquela organização. Marcus era uma das minhas fontes lá dentro. Talvez o tenham descoberto.  

Eu faço um curativo e parto para o apartamento dele, torcendo para que ninguém tenha revistado lá ainda. Quando chego lá, percebo que haviam procurado por tudo, menos pelo nosso lugar secreto: dentro de uma estatua. Eu a quebro e lá está, um cd, dentro de uma caixa reforçada. Eu volto para minha casa e analiso os vídeos, são de dentro do laboratório e a da casa. Vejo uma figura intrigante, alguém desconhecido. 

Desconhecido - Doutor estamos bem perto, não falhe comigo 

Marcus - Sim senhor, eu irei fazer. 

Quando o homem sai e ele fala para a câmera 

Marcus - Quem estiver vendo isso saiba que eles estão me obrigado a fazer algo profano e perverso, eles querem me obrigar a decifrar o indecifrável, o DNA do super homem... 

Vejo mais e mais vídeos até o último

Marcus - Eu consegui, eu destruí as informações. Eles vão atrás de mim e de quem souber. Cabe a você meu amigo me ajudar 

Eu descubro, invadindo alguns sites, que Marcus foi morto vaporizado. Ele descobriu muita coisa, mas somente alguém com o nível de força do super-homem poderiam ter entrado na casa dele. A casa tem vários dispositivos de segurança e a parede foi completamente destruída na entrada. Eu saio pela cidade, quando deparo com o Super-Homem bem na minha frente. Atrás de mim posso escutar os passos de Hal Jordan, e o Flash está lá embaixo. 

Super-Homem – Questão, temos que falar com você. O governo nos pediu ajuda para prender você. Você invadiu e pegou vários documentos. Isso é um crime grave. 

Questão – A Liga agora trabalha para o governo ? 

Super-Homem – Não é isso. Todos aqueles que cometem crimes devem ser levados à justiça. 

Questão – Vejo que o Batman não está aqui, deve ser porque ele não concordar com esse discurso fascista e totalitarista. 

Super-Homem – Questão se entregue pacificamente 

Questão – Antes posso dizer algo ? Eu sei por que vocês estão fazendo isso. O governo matou um homem, porque ele queria decifrar o seu DNA ou pode ser que seja você que tenha feito isso. 

Super-Homem – Eu nunca mataria por isso 

Questão – Não ? Você não mataria para continuar sendo especial ? Seus poderes definem você. Sem eles você seria um fazendeiro, nem ia ter aquele emprego como repórter, afinal como você entrou? Ah sim você entrevistou a si mesmo 

Super-Homem – Você... 

Questão – Sim eu sei todos seus segredinhos sujos. 

Hal Jordan - Cale a boca, você vem conosco, nunca gostei de você mesmo. 

Questão – Nem você, seu traidor assassino. 

Hal Jordan – Desgraçado! 

Eu toquei na ferida de propósito enquanto ele avança e Super tenta conter Hal, eu uso meu gás amarelo e sumo de lá no meio da confusão. 

Eles mandaram a Liga. Eu estou em maus lençóis. Preciso achar alguém que possa me ajudar. Eu entro pelo subterrâneo da antiga fábrica das empresas Kord. Estou em busca de um amigo perdido. Eu o vejo trabalhando, ele parece surpreso. 

Ted - Como você sabia que eu estava aqui ? Ninguém sabe. 

Questão – Sempre me dizem isso 

Ted – Não acredito, foi uma piada ? 

Questão – Diga você... Você não estava morto ? 

Ted – Eu... 

Questão – Eu sei por que, mas quero ouvir da sua boca. 

Ted – Então você sabe tudo 

Questão – Sei que você fingiu sua morte, porque sabia que Max ia tentar matar você, sabia que no final ia morrer então você fingiu a sua morte, para virar uma pessoa normal, mas de vez em quando, você vem aqui e mexe nas coisas antigas. 

Ted - Como você... 

Questão – 2 meses atrás eu estava investigando o projeto Cadmus do homem do amanhã, e descobri que o cientista responsável estava usando uma tecnologia que você criou para identificar espécies alienígenas, eu depois descobri como você usou o escaravelho. 

Ted – Sim eu usei, mas você não pode me julgar, lutei ao seu lado, ao lado de todos e ninguém me respeitava, eu perdi tudo, amigos, família. 

Questão – Estão atrás de mim. 

Ted – Que bela forma de mudar de assunto você tem. 

Questão – Dizem isso de mim também. Pessoas do nível do Super-Homem querem me pegar. Você tem algo para me defender ? 

Ted mexe dentro de um baú antigo e me da um pequeno Escaravelho Negro 

Ted - Isso é uma arma lazer, usando a potência máxima pode machucar seriamente alguém como o Super-Homem. 

Questão – Obrigado. Tenho que ir. 

Ted – Porque você não contou aos outros de mim? 

Questão – Porque sempre foi um amigo Ted, você foi um dos poucos que ajudou minha cidade natal. 

Ted - Sabe sinto falta das nossas conversas. Porque você não veio me procurar antes ? 
 Questão – Porque você desistiu

Eu sumo de lá e surjo nas ruas, preciso de um carro novo, eu não tenho vergonha em roubar o carro de um mafioso. Tenho questões que preciso responder, preciso saber quem era o homem por trás do projeto e quem está por trás da tentativa de morte de Tália ? Será que está tudo conectado ? Eu tenho que achar Tália mais uma vez. Eu entro na casa dela, ela está trocando de roupa. 

Questão – Olá ! 

Seu corpo me distrai por instantes, eu preciso me concentrar ela não pode perceber o que passa na minha mente. 

Tália – Precisamos parar de nos encontrar assim, ou você gosta do que vê ? 

Questão – O que você descobriu ? 

Tália – Nada ainda, e você ? 

Questão – No mesmo dia em que você foi atacada vários cientistas da Cadmus foram mortos. Alguém queria manter o Batman distraído. 

Tália – Distraído ! Como assim ? 

Questão – Você sabe o que ele sente por você e você por ele. 

Tália –Isso são coisas do passado 

Ela passa a mão pelo meu paletó 

Questão – Está tudo conectado. 

Tália – Você está preocupado comigo ? 

Questão – Acho que não deveria, você é uma menina grandinha. 

Ela se aproxima os lábios da minha máscara. Mesmo com ela eu posso sentir o aroma do corpo dela, e desejo seus lábios. Quando eu percebo os passos, alguém vindo por trás de mim. Eu giro e acerto ele com toda minha força. Ele cai no chão. É Bane ! 

Bane - Maldito vai pagar por isso ! 

 Tália – Sempre atento não é ? 

Questão – Sempre ! 

Bane vem mais uma vez para cima de mim. Eu desvio dele, ele me ataca com fúria, eu penso, ele se desloca pela mesa e pula em cima dela. Ele se desequilibra um pouco.  É minha chance, eu dou uma voadora nele, bem no peito o fazendo cair e quebrar a janela. Ele está desmaiado no chão, um homem aparece na escuridão, entrando na mesma sala. 

Rãs Al Gul – Parabéns, Homem sem face ! Você se provou digno. 

Questão – Esse tipo de coisa não faz seu gênero. 

Rãs Al Gul – O mundo muda, depois de tudo que houve você deve entender. 

Questão – Mas por quê ? Porque decifrar o DNA do Super-Homem ? Você nunca precisou de poderes. 

Rãs Al Gul – Foi uma barganha. Eu daria os poderes do Super-Homem, e eles me dariam o escaravelho. Eu não precisaria mais usar os poços de Lázaro. Foi um bom plano. 

Questão – Acabou ! 

Rãs Al Gul – Apenas começou ! 

Quando me preparo para lutar vejo a parede ao meu lado sumir. O calor da sala aumenta, e eu posso ver seus olhos brilhando como a luz de um relâmpago. É o Capitão Átomo

Questão – Você... 

Capitão Átomo – Lamento Questão, mas acabou 

Questão – Você se vendeu a eles por quê? 

Capitão Átomo – Quase perdemos tudo. Precisamos dessa fórmula para proteger o mundo. A crise quase devastou a própria realidade. 

Questão – Capitão, você sempre foi o mais poderoso de todos. Você poderia matar o Super-Homem se quisesse. O que acha que vai acontecer com você se eles espalharem esse poder ? Você vai ficar ultrapassado e todos os sacrifícios que você fez vão ser em vão. 

Capitão Átomo – Você abriu portas proibidas e agora vai pagar por isso. 

O Capitão chega perto de mim, e eu uso arma de Ted mas não com o poder Máximo.


Questão – Acabei de fazer um furo em sua armadura. Em alguns segundos a radiação do seu corpo vai se espalhar por todo esse lugar e todos vão morrer. Você tem que sair daqui para fechar ela. 

Ele sobe em alta velocidade surpreso. Vai demorar alguns minutos para ele voltar. Tenho tempo para saborear o momento com Rãs. 

Questão – Hora de pagar, Rãs ! 

Rãs – Acha que pode me prender ? Eu estou acima do seu sistema patético 

Questão – Eu sei disso Rãs. Sei muito bem, sei que você está por trás das piores coisas que aconteceram na humanidade, e eu vou acabar com isso de uma vez por todas. 

Eu pego um pedaço de vidro da mesa e rasgo parte do rosto dele, formando uma cicatriz e o cegando de um olho. 

Rãs – Argh !, Seu insano! 

Tália – Pai ! 

Ela tenta pegar uma arma, mas eu soco seu rosto ate ela desmaiar. Tudo vai acabar agora de uma maneira ou de outra. Eu tiro minha gravata e enforco-o, eu o viro e o Capitão Átomo volta. 

Capitão Átomo -O que você está fazendo? 

Questão – Saindo daqui. Qualquer movimento eu o mato. Você sabe que eu posso fazer isso só com minhas mãos nuas. 

Capitão Átomo – Não tem como fugir. Todos estão do nosso lado, você é um criminoso, e vai ser culpado pela morte do Marcus. 

Questão – Então é assim ? Você se tornou uma piada, o mais poderoso de nós, vendido para esse governo fascista. 

Capitão Átomo – Meu governo é tudo que eu tenho. 

Questão – Quer saber de tudo ? O rãs não tem os poderes, ele não tem nada, estava usando vocês, o verdadeiro código foi destruído. 

Capitão Átomo – O que ? Você está mentindo ! 

Questão – Rãs já desmaiou de perda de sangue. Me deixe ir. 

Capitão Átomo atira uma rajada de átomos, eu pulo com Rãs até lá embaixo me machuco muito, mas Rãs está pior. Eles se preocupam com ele, mas eu estou fugindo, talvez eu consiga mesmo me rastejando, e com uma perna com a ferida aberta, quando vejo um homem de armadura dourada,o chamam de Guardião Dourado. 

Guardião – Questão desista ! Olha o trapo que você está. 

Questão – Desistir é para aqueles que têm medo. 

Guardião – Medo de que? 

Questão – Medo de tentar 

Ele se aproxima e me dá um soco, e um chute. Ele é bom, mas eu sei por onde passam os pontos de circulação e me concentro para acertar um deles e ele começa a vomitar sangue. 

Guardião - O que você fez comigo. 

Questão – O mesmo que vocês acabaram de fazer comigo. 

Eu mal consigo caminhar. Eu caminho e tiro minha máscara e caio em um beco escuro. E tudo se apaga, talvez eu fosse morrer, talvez....

Olavo Coelho