30 de abril de 2008

Um Ano do Quadrideko


Caros amigos. Hoje faz exatamente um ano de criação deste modesto blog. Inicialmente tímido e sem muitas pretenções, o Quadrideko se tornou motivo de grande um orgulho pessoal. Não creio que este seja considerado um grande blog, mas a caminhada até aqui trouxe muitas coisas boas , como quando surgiram os primeiros comentários, quando eu pude perceber realmente que algúem lia aquilo que era postado por aqui. E mais tarde , quando vinheram as primeiras parcerias que foi realmente quando eu vi que este blog fazia parte de um universo maior, a blogosfera !

Porém um dos pontos mais altos nesta breve caminhada foi o convite para participar do Projeto do Blog do Hiroshi, O Carnaval de Quadrinhos, onde pude entrar em contado e aprender com excelentes Blogueiros além de iniciar uma grande parceria. Portanto neste espaço, eu gostaria de agradecer aos grandes parceiros que contribuem para que eu seja " Apenas mais um blogueiro querendo compartilhar tudo aquilo que for legal." :
Blog do Hiroshi, Reviews de Historias em Quadrinhos, Toca do Calango, Cibertron, Rabisco, Zine Acesso, Não Diga Nada, Centurions, Fronteiras no Tempo e outros.


VALEU GALERA !!!!!


E Que Venham os próximos anos !!!!

29 de abril de 2008

Organização X - 8

Organização X
Arco 2: Magia Arcaica
Parte 4 de 4: Hecate


Natureza sente todo corpo doer, afinal não é todo dia que somos arremesados contra várias árvores. Ela coloca a mão sobre a costela e sente o sangue que escapa pelo ferimento do rosto.

Ao ohar os dois amigos percebe que possuem olhos vazio. Parece que a própria lam deles saiu do corpo.

Hacker e Pesadelo não olham diretamente para Natureza. Hacker continua apontando sua espada para ela enquanto uma corrente surge nas mãos de pesadelo. Por um momento a mutante se prepara para o ataque, mas, sem que nenhuma palavra seja torcada, os dois X-Premiers se viram.

Eles estão indo em direção a Hecate... Pensa NAtaureza antes de ciar de joelhos no chão.

A X-Premier se levanta com dificuldade, as costelas doem demais (ela torece para que não tenha tido nenhuma perfuração) A dor é tamanha que ela nem perceber uma sonbra cruzar o céu azul.

-x-x-x-

Cronos, Ave-de-luz, Portal e Chris encaram Hecate com diferentes emoções.

“Eu pensei, Helena...” fala Hecate. “... Que nosso acordo era uma não se meter nos negócios da outra...”

Cronos Sorri e anda calmanete, ignorando o olhar interrogativo dado por suas alunas. “Se você cuidasse bem dos seus problemas eu não estaria aqui.”

Hecate parece ponderar um pouco. Medeia, o que foi que essa criança aprontou agora?

Como se respondendo a perguta da antiga Deusa, o sol perde seu brilho. Um silencio sepulcral banha o lugar e as Premieres sabem exatamente o que está acontecendo...

Pesadelo...

-x-x-x-

Joseph acorda ouvindo o som de um incsável tear. Ele se levana e segue o som, o que o faz cruzar varias portas.

Já do lado de fora ele sente o sol no seu rosto e o perfume das flores. O som incansável do tear o faz seguir em frente.

Uma jovem de traços nobre, olhos azuis e cabelos castanhos est sentada a frente do teara. Com movimentos graciosos ela vai tecendo um lindo tapete.

“Pensei que iria dormir para sempre... Guerreiro...” Jospeh fica espantado olhando oara a mulher, sem saber o certo o que falar. “Não precisa falar nada, nosso tempo é curto... Poderoso Caos, você realmente parece Jasão” Ela sorri. “Começo a achar que meu pai tem razão, não devo mais interferir nos assuntos mortais... Mas devo um favor a uma grande amiga...” Ela se levanta, deixando o tapete terminado no tear. “Está seguro aqui... Se sair dessa floresta poderá sua alma...”

Ela vai embora enquanto Josep fica olhando o tapete, a figura de trÊs jovens sorrindo... Esses jovens... eles são...

-x-x-x-

U cachorro de três cabeça surge na frente das mutantes e da deusa. Muitgo podem achar que se trata de Cérbero, o cão guardião de Tártaros, mas Hecate sabe que não é, afinal ela viu Cérbero ainda pouco.

Helena puxa Choirs para trás dela, enquanto Ave-de-luz energiza as suão mãos.

“Porque tudo que envolve vocÊs tem que ter algo mitológico?” Portal pergunta correndo animal.

Ave-de-luz não espera a resposta de Hecate e atira em uma das cebças enquanto portal surge em ima do bicho tentando derrubar outra. Nesse momento Hacker aparece ao lado da mutante marroquina e defere um golpe certeiro com a Katana.

Mas Portal se utiiza de seu poder poder para aparecer nas costas amigo japonÊs. Ela chuta contra ele, mas Hacker e mais rápido e segura a perna dela e a joga para fora das costas do grande cachorro.

Portal abre os olha bem a tempo de ver Hacker pulando em cima dela com a espata apostando para o corção da jovem. Um portal surge a baixo dela e outro logo aparce acima de Hacker.

Portal cai através dos portai e atinge Hacker em cheio. “Descupa, amigo, mas não posso deixar você me machucar.” Ela joga a espada dele para londe, mas dessa vez não consegue desviar do soco certeiro que o X-Premier atinge no rosto dela. “Ai... Que Alá me perdoe... Mas eu vou ter q te machucar um pouco, Seiya.”

Enquanto issoAve-de-luz dispara um verdadeiro canhão de energio em cima do do Cchoro de três cabeça, e v^o bicho se transformar em cinzas. Um leve sorriso surge nos lábios dela, mesmo com a dificultade que ela está tento para respirar.

No meio das cinzas ela vÊ Pesadelosorrindo... Isso não é nada bom.

As cinzas que estavam caindo começam a se juntar nvamente na forma do cão guardião de Tártaros.

“Você só pode estar brincando...”Ave-de-luz fala olhando para o monstro..

A alguns metros de distancia Chris tenta ir ajudar as amigas mas é impedida por Cronos. “Mas, Cronos, elas precisam de nós!”

“Não, não precisam, elas podem muito bem cuidar de Pesadelo e Hacker... Temos que ficar de olho em outra pessoa...”

Perto delas Hecate está de olhos fechado, de seus lábio palavras de greo arcaico são proferidas. O corpo dela começa a brilhar e o poder dela começa a iluminar a escuridão. “Medeia, você ainda tem muito que aprender.” Hecate estica a mão e se prepara para liberar toda a sua energia.

“Argh!” O grito sai da boca da Deusa, seu corpo começa a doer,, suas pernas não tem mais firmeza. Ela olha para as próprias mãos e vê, sente o seu poder se esfaindo. “A esfera... O meu poder... Medeia... OQUE VOCÊS FEZ?!”

-x-x-x-

Medeia sorri quando olha para a esfera de pura energia.

Hecate costumava a traze-la aqui quando criança. Contava as historias e ensinava a menina os primeiros truques de nagica, mas ussi foi a mmuito tempo atrás.

Ela se aproxima da esfera e a toca, finalmente o poder supremo da magia era dela.

“Olha, eu realmente não sei o que essa bola de gude faz... Mas acho que ela não pode ser sua...” Natureza fala encostata na porta. A sal está girando, suas pernas estão fracas. Ela tem quase certeza que está com alguma hemoragia interna. “Não vou deixar você sair daqui levando isso...”

“E o que você pode fazer?” Medeia fala já com a esfera em suas mãos.

Natureza sorri, um sorriso maldoso e e sarcástico. “Natureza não pode fazer nada... Mas eu posso...” O rosto da jovem mutante parece se cobrir com trevas. “Você tem algo que me pertence... Se ele... Não....” A mutante parece falar mais consigo do que com a feiticeira. “Sua tola... deixe-me sair... Eu posso traze-lo de volta para nós.... Ele... Nós... Não!”

Natureza fica algum minutos de olhos fechados e cabeça abaixada. “Desculpas... As vezes o meu outro eu gosta de aparecer...” Ela se levanta e cria uma esfera de fogo em uma das mãos. “Mas como eu disse antes você não vai sair daqui com isso...”

Medeia ri. “Eu não preciso sair...” Os olhos de Medeia brilham e um medalhão aparece nas mão dela. Ao mesmo tempo toda a cas parece dermoronar.

A feiticeira levanda o cordão na altura dos olhose dá uma gargalhada. “Gostou da nova casa mamãe?” O corpo dela começa a sumir. “Vamos, vou lhe reapresentar o meu marrido...”

Natureza não perde tempo e jogo um bola de energia que atinge a mão com o medalhão fazendo com que Medeia o solte antes de desaparecer totalmente. A mutante corr e pega o medalhão e observa Medeia ir sumindo.

“Pode ficar com ela... Jasão é meu!” Falando isso ela some.

Jasão?...Mas enquanto a Jospeh?

Ela consegue ouvir a voz dentro dela fla. Deviaria ter deixado ela agir, ele estria conosco agora.

Mas Natureza sorri e cai enconstada a parede enquando vê o teto desabar. A dor é grande demias, será que ela perdeu muito sangue?

“Angie” Ela se vira em direção a voz de Portal, quando foi que ela chegou aqui? “Vamos temos que sair daqui, todos já estão lá fora!” Mas mesmo se esforçando ela não consegue distinguir o que Portal está falando, ela só consgue dar um sorriso bobo antes de desmaiar. “ANGIE!”

-x-x-x-

Hacker e Pesadelo estão desacordados, Ave-de-luz está com alguns poucos machucados no corpo, enquanto Chris e Cronos estão perfeitamente bem e observam a mansão de Hecate desaparecer.

“Eu encontrei!” Portal fala trazando uma Natureza desarcordada com ela. “Mas acho que ela não esta... Está muito pálida.”

Cronos se aproxima das duas, e observa a medalha que Natureza segura com firmeza. Então Media fa a Hecate a mesma coisa que Hecate tinha fieto a Medeia. Irônico, feiticeira, bastante irônico.

Helena tira o medaljão da mão de Angie e o observa, já sabe o que deve fazer.. “Portal, me desculpa, mas vou ter que pedir que você leve a todos de volta a Grécia...”

O olhar surpresa das três não a incomoda. “Se você achar que não pode realizar tamanha viagem, leve-os para a sede de Nova York.... Natureza, os menino, você e Ave-de-luz precisam de cuidados médicos urgentes!”

“Mas...” Chirs começa a falar. “E quando a Jospeh?”

“Eu vou atrás dele...”

“Sozinha!” Grita Ave-de-luz. “Isso é maluquice! Você não pode...!”

“Não estarei sozinha” Cronos responde olhando para o medalhão em sua mão.

“Mas, Helena...” Portal tenta colocar um pouco de juízo na cabeça de Cronos.

“Isso é uma ordem!” A a discurção termina.

-x-x-x-

Ela corre para a cela. Ao vê-lo deitado, dormindo, um sorisso brota nos lábios dela.

Finalmente... “Jasão!” Finalmente... “Eu voltei meu marrido!” Finalmente juntos! “Acorede meu amor!” Isso é, se ele acordar. “Jasão?!”

A pele dele está fria , os lábrios e rosto sem coloração, o corpo pesado... Não pode ser, depois de tudo que ela fez ele... Ele... “Não me deixe novamente, meu amor...” Morreu?!

Ela sente as lágrimas caírem. Esngraçado, achava que não odia mais chorar... Mas por ele, e somente por ele...

“Meu amor... Por favor acorda...” Mas Jospeh parece ignorar qualquer súplica dela.

“Ele não vai acordar...” Cronos aparece na porta. “Filha...”

O ódio de Medeia não pode ser medido por palavras ou por ações. “Traga-o de volta para mim!”

“Como espera que eu faça isso?”

“Voce não fala que pode controlar o tempo?... Volte para antes disso acontecer... Antes dele...”

Mas ela não consegue terminar a frase, a gargalhada de Crono ecoa pelo ambiente. “É verade... Esse corpo pode fazer isso... Qual será o gatilho para usar os poders mutantes dela?”

Medeia ainda olha discrente para Cronos antes de encaixar todas as peças. “Mamãe?”

Mas Hecate não responde apenas atira uma bola de energia que derruba Medeia.

“Impossível! Eu estou com a sua esfera de energia... Você não deveria ter nenhum...”

“Criança... Ainda tem muito que aprender... Acha mesmo que eu dependo somento do Poder Primordial da Magia?” Ela sorri.

“Mas você dizia...”

“Hunf... Eu nunca confiei em você Medeia... Sempre tão rebelde, tão mesquinha... Você nunca merceu ter a honra de ser munha filha...”

“Cala boca!” Medeia fala atirando um bola de energia na direção de Hecate, mas ela só estende o braço e a bola para.

“Você tem muito que arender ainda...”Ela absorver o poder da bola de energia e sorri. “Hora de voltar para casa filha...”

Hecate recita a magia que usou a muitos séulos atrás. A Deusa-feiticeira não sente pena ao ver o corpo da receptora da filha ir se queimando, ir se desfande. Também não sente pelo grito de dor que sua filha solta ao ter sua alma separada do corpo.

E mais uma vez a Medeia volta para sua prisão-medelha.

Hecate sorri. Além de ter derrotado a filha, o corpo de Helena pode fornecer os poderes do tempo para ela... Sim finalmente ela poderá reivindicar o Olimpo para ela.

“O Olimpo já tem dono, bruxa...”

Hecate não sabe de quem é a voz, só sabe que sua alma está sendo puxada novamente para o medalhão no perscoço de Cronos. E assim, mãe e filha compartilham o mesmo destino. Uma eternidade pressa em uma medalha.

Cronos consegue caminhar cabaleante para perto de joseph e sorri passando a mão pela testa do rapaz. “Hora de acordar meu menino...”

Aos poucos a pele pálida do rapaz vai sumindo, dando lugar a uma coloração mais agradável.

“Eu não sei como aradecer...” Cronos começa.

“Cuide para que as duas fiquem num lugar seguro...” A voz da jovem é segura e sábia.

Jospeh abre os olhos com dificuldade e observa Helena e atrás dela... A jovem do seu sonho... Ele fecha novamente os olhos e os esfrega.

“VocÊs está bem, meu menino”

Ele olha para trás de Helena e não vê ninguém. “Parece que alguém pegou o meu corpo e o açoitou... Onde a gente está? E os outros X-Premieres?”

“Vivos... Todos mó estamos vivos;; Agora vamos para casa!”

-x-x-x-

Natureza respira fundo e tenta se controlar, observa as formas arredondados do apelhor. De longe parace ser umequipamente de resonancia magnética, mas na verade é uma invensão de Tony Starka e Reed Richards.

A maquina acelera a cicatrização, principalemnte de osos. E para alguém que quebro uma costela, essa maquina ajuda e muito.

O bip que ela escuta significa que sua terapia já acabou e fica fwliz com isso. Por um momento as lembrças de todos os exames que foi submetida quando criança voltam a sua mente... Mas e melhor não pensar nisso agora.

Lentamente o su corpo sai do tubo, mas ela não tem paciência, se paressa em levantar e sente uma rápida tonteira.

Uma mão a apoia na cintura e outra no ombro. “Você tem que ir com calma Angie” Jospeh fala suavemente. “Mesmo com esse aprelho, você não está totalmente currada.”

“Olha só quem fala... Sr eu fiquei preso numa magia... VocÊ também deveria descansar Joey.”

Os dois ficam se olhando por um tempo. Joseph respira fundo e a carrega, num primeiro momento Natureza espernaeia, ameaça, grita. Mas ao percebe que Joseph não vai solta-la fica quieta e o deixa leva-la pra seu quarto.

“O que houve com os medalhões de Hecate e Medeia?” Joseph pergunta

“Natureza fica quieta pos um tempo, antes de supirar. “Essa á a pergunta de um milhão de dólares.”

-x-x-x-

A porta do cofre se fecha, a parede desce lgo em seguida. e Helna se senta na sua cadeira e liga a Tv

27 de abril de 2008

Piadas de Super-Heróis

Batman e Robin foram a uma festa na Liga da Justiça e encheram a cara até a madrugada. O morcegão, que saiu completamente bêbado e trocando as pernas, disse:
- Robin (hic!), dirija o bat-móvel porque eu estou imprestável...
Robin entrou todo emocionado no carro, pois ia dirigí-lo pela primeira vez. Segurou o câmbio com
firmeza, engatou a primeira e saiu. Engatou a segunda, a terceira, acelerou, colocou a quarta, quinta, a sexta, e se mandou. Na primeira curva, ele reduziu, passou para a quarta. Viu um caminhão, reduziu, ultrapassou, engatou novamente a quarta, a quinta, a sexta, e foi assim até chegar à bat-caverna. Robin
estacionou, desligou o carro virou-se para o Batman e perguntou:
- Dirigi bem?
- Muito (hic!)bem. Agora me dá um beijinho...
- Que é isso Batman?! A bebida lhe subiu à cabeça?
E o Batman:
- Deixa de frescura, Robin, você sabe muito bem que o bat-móvel tem câmbio automático!...

------------------------------------------------------------------------------------------------

(Em um desses grandes encontros Marvel x DC):

"Bruce Banner, após assistir um filme pornográfico descontrola-se, assume a forma do Hulk e sai quebrando tudo pela cidade, gritando:

—HULK QUER MULHER! HULK QUER MULHER!

Vários heróis são inutilmente canvocados para conter a fúria do gigante esmeralda, mas o máximo que conseguem é levá-lo para as proximidades do Palácio da Justiça.
O Hulk invade-o (o Palácio) gritando cada vez mais alto:

— HULK QUER MULHER! HULK QUER MULHER! HOMENZINHOS NÃO DÃO MULHER PRO HULK, HULK VAI FAZER COM HOMENZINHOS MESMO!

Diante da ameaça um bom número de heróis se desestimula em tentar detê-lo (enquanto outros se animam). Hulk invade a ala dos aposentos e, no quarto da Mulher Maravilha, encontra a heroína nua, deitada em sua cama com as pernas abertas. O Hulk não pensa duas vezes. Pula sobre ela como (e com) um míssil verde. Ele fica ali, chacoalhando e bufando em cima dela, os heróis tentam afastá-lo mas não conseguem. Quando o tesão, digo, a tensão passa, Hulk volta a ser o pacato e efeminado Dr. Bruce Banner, que é levado dali.
Os heróis ficam constrangidos com seu fracasso ao tentarem impedir aquela violência e não terem sucesso.
O Super-Homem é o primeiro a falar e, ao perguntar baixinho à heroina se ela estava bem, esta, com um estranho sorriso nos lábios responde: — Eu estou ótima, só não sei como está o Homem Invisível que estava aí em cima de mim."

------------------------------------------------------------------------------------------------

Dois sujeitos bêbados conversam no topo de um prédio:
"Duvido que você fica na beiradinha, em um pé só"
"Se você fizer eu faço"
"Tá bom", diz o primeiro, que vai lá e fica em um pé só na beirada. O segundo, vendo
aquilo, faz igual.
"Agora eu quero ver você fazer o quatro ali na beirada"
"Se você fizer eu faço"
"Xerto", diz o primeiro, que vai lá e faz o quatro. O segundo, vendo aquilo, faz igual.
"Pois se você é macho mesmo, agora plante uma bananeira na beirada"
"Xe voxê fizer eu faxo"
"Tá bom", diz de novo o primeiro, que vai lá e planta a bananeira. O segundo bêbado,
mais uma vez vendo aquilo, faz igual.
"Pois agora eu quero ver você se jogar lá embaixo", desafia o primeiro.
"Xe-xe-xe voxê fizer... eu faxo", diz o segundo, ainda bêbado mais meio reticente. O
primeiro sujeito, no entanto, pula de cima do prédio (de uns dez andares, mais ou
menos), atinge o solo lá embaixo, levanta-se, sobe as escadas e ao chegar no topo
desafia: "Agora é sua vez"
O segundo indivíduo, então, pula... e se esborracha lá embaixo.
As pessoas ao pé do prédio se juntam em torno do cadáver, olham lá pra cima, de
onde o primeiro bêbado ri até estourar, e surge o comentário geral:
"Esse Super-Homem quando bebe é um mal-caráter..."

------------------------------------------------------------------------------------------------
Cheetara, dos Thundercats, entra no cio e vai procurar Panthro para fazer o serviço.
"Sinto muito, Cheetara, agora estou consertando o Thundertank", se esquiva o sarado
Thundercat. Rapidamente, Cheetara vai atrás de Tygra, mas ele também se recusa:
"Estou muito ocupado, estudando as possibilidades de uma nova mina de
Thundrillium", diz. A bela Cheetara vai então atrás de Willy kat, mas o jovem
Thundercat estava na floresta surfando com Willy Kit. Como Snarf estava fora
colhendo cogumelos, só Lyon-O poderia ajudar Cheetara. "É claro que eu topo", diz o
líder Thundercat, já tirando a roupa. Assim que ele tira a cueca, porém, Cheetara olha
para Lyon com desgosto. "Nossa Lyon!!! É desse tamainho?"
"Calma Cheetara. Olha só: Thunder... Thunder... Thundercats... Ho
-------------------------------------------------------------------------------------------------

26 de abril de 2008

Lorenzo Sperlonga - Ilustrações

Lorenzo Serlonga nasceu em 1969 em Roma, Itália . Estudou Ilustração e Designer gráfico e de animação. E a partir de 1990 trabalhou nas grandes industrias da ilustração da Europa.
Em 1994 pintou sua primeira capa para Sorpio, uma das maiores editororas de quadrinhos da Itália. No mesmo ano começou a trabalhar para Plauman Comix e outros títulos adultos.
Em 1995 pintou para edições italianas da Playboy e Penthouse. Também em 95 comemeçou a trablhar para editora Heavy Metal e cinco anos mais tarde suas capas chegar aos Estados Unidos.
Em 1998 publicou sua historia em quadrinhos, Angel Baby, com 7 páginas de conteúdo altamente erótico escritas por Bruce David.
Em 2002 teve seu trabalho incluído no calendário da Heavy Metal além de uma galeria dedicada ao ilustrador. E ultimamente tem sido considerado um melhores ilustradores da atualidade. Vejamos alguns trabalhos do artista :




Site Oficial do Artista : AQUI

22 de abril de 2008

Organização X - 7

Organização X
Arco 2: Magia Arcaica
Parte 3 de 4: Hecate


Ele abre os olhos apenas para encontrar a bela mullher negra com quem fez amor durante toda a noite passada... Engraçado ele falar em fazer amor, até pouco tempo era sexo e apenas sexo. Sempre pensou que sua orientação sexual nunca lher permitira enconytar alguém que o amasse, por isso fechou seu coração e sua alma até encontrar ela... Amor a primeira vista... Mais quais as chances dessa linda africana se apaixonar por um japones amarelo viciado em computador?

“Seiya?...” Ela fala sem tirar os olhos da janela.

“Beatriz?...” Ele fala se levantando e tentando alcança-la, mas ela desvia.

“Eu não vou conseguir...”

Ele sorri, o que essa poderosa mutante, capaz de destruir prédios com um grito, não pode fazer? “Já sei, não vai conseguir largar o japinha aqui, né?... Fica tranqüila que eu também não quero te largar...”

Mas ela não sorri, ao contrario, parece abaixar mais ainda a cabeça e aperta ainda mais os olhos, tentando segurar as lágrimas. “Deus, voce só sabe fazer piada?”

“Pensei que gostasse do meu senso de humor...” Ele fala sério agora, apoiando os braços nas pernas e olhando diretamewnte para ela. “Voce vai terminar...”

Não é uma pergunta, mas apesar da certeza, ele não consegue entender o porquê... Eles não estavam felizes nas ultimas semanas? Mas a quem ele ta querendo enganar?”É porque eu sou bis...”

“Não!...” Ela olha para ele diretamente nos olhos antes de baixar a cabeça com vergonha. “E... sim...”

Os dois ficam em silencio por alguns segundos, antes que o mutante japonês se descubra e comece a procurar suas roupas. Beatriz ficam em silencio até ver ele colocando as cuecas. Por todos os deuses africanos, ela vai sentir falta do corpo dele desnudo. “Espera... Seiya!” Ela tem que se explicar. “Voce tem que entender...”

“Eu entendi... Ser mutante ótimo... Ser japonês ta pro gasto... Ser bissexual... Crime federal!”

“Não é isso!...” Ela fala puxando o braço dele, as lágrimas já caem. “Eu te amo!...”

Seiya olha supresso para ela, a vontade que tem é beikar aquela mulher e joga-la novamente na cama, e assim mostrar que também a ama.

“Seiya...” Ela fala abraçando-o e colocando a cabeça no peito dele. “Eu reparei o jeito como voce ficou olhando para o Gus.... Voce o deseja, não é?” Ela espera ele responder, mas ao ver que não vai ter resposata continua. “Nunca vai ser igual... Pos mais apetrechos, brinquedos, ou sei lá o que, que a gente use nunca vai ser igual, não é?... Eu nunca vou poder dar a voce o que eles dão... E no finall eu não vou ser suficiente...” Ele continua calado, esperando ela acabar. “Eu te amo tanto...”

Ele levanta a cabeça dela e beija a testa. “Sabe outro dia eu ouvi uma piada engraçada...” Ele começa. “O garoto de 6 anos fala por irmão de 5: - Joãozinho vai perguntar para mamãe se a gente pode jogar vídeo-game... E o irmãozinho responde: - Ah, eu tenho vergonha... Pergunta você que conhece ela há mais tempo...”

Seiya fica sorrindo para a mulher em seus braços, que depois de um tempo sorri cntro o peito dele. Depois ele simplesmente se afasta dela, não sem antes se virar para ela sorrindo. “A gente precisa conversar... Mas até lá... Eu te deixo livre e voce me deixa livre...” Ele fala fechando a porta.

Beatriz senta na cama e olha a janela quando ouve a porta sendo aberta.

“Ta só mais uma piada e então Elvis vai deixar o prédio.” Seiya fala se sentando na cama. “O sujeito chega em casa, tira os sapatos senta no sofá e grita para a mulher...”

-x-x-x-

Medeia olha calmamente o espelho d’agua colocado aos pés da cama onde Hacker está deitado. “Ah! Querido... Você sofreu tanto, não é mesmo...” Ela fala passando as mãso na testa suada do rapaz.

“Tira aos mão dele!” A voz do rapaz preso em correntes do outro lado da sala, chama a atenção da feticeira. “Voce é aquela garçonete da vila...” Ele fala quando na sua frente dois lobos de pelos negros e olhos vermelhos se aproximam de sua raptora. “Escuta aqui, eu não sei por que voce destruiu a sua vila ou nos prendeu aqui, menina...”

Ela dá gargalhadas. “Menina?... Sou mais antiga que o Pantheon...” Ela apenas levanta as mãos e os lobos criados pelo X-Premier desaparecem.

“Quem?...”

“Apenas uma esposa atrás do marido...” Ela fala com trsiteza no olhar. “Atrás dos filhos que foram arrancados dos meus braços, por esse mesmo marido que me trocou por uma princesinha inútil e fútil!” Uma bola de energia se choca contra uma das paredes, fazendo parte dela desabar. “Mas agora vai ser diferente... Deposi que eu recuperar o meu poder total, nem mesmo a minha mãe poderá me deter... E ele voltara a ser somente meu...” Ela coloca a mão sobre o ventre e sorri. “Eu poderei gerar filhos para ele de novo... Sim filos novos.... Nesse corpo vivo... Mas o feitiço... E então... Já~so... e filhos...”

Pesadelo balança a cebeça. “Voce é louca...”

A mulher apenas se encaminha o espelho d’água e emche um jarro. “Sim... Eu entrei na historia como louca...” Ela derrama a água na cebeça do rapaz, que depois de tocar o chão volta direto pro jarro. “Mas quem não enloquece por amor?... Vamos, meu adorado, me mostre o momento em que voce quase enloqueceu...” Ela joga a ´gua de vota a bacia, enquento os olhos de Pesadelo ficam extremamente pesados. “Pois eu só preciso desse momento para entrar na sua alma e faze-lo se sacrificar por mim...”

-x-x-x-

Cronos está pensativa, olhando para as quatro jovens a sua frente ela respira fundo. “Medeia nuca devia ter acordado... “

“Nãooooooooo...” Ave-de luz fla com ironia. “uro que pensei que bruxas malignas sam por ai o tempo todo fazendo maldades...”

“Se fosse assim, Ave-de-luz, nunca iríamos enfrentar Hecate... Que por acaso é mãe de Medeia...”

“Isso que é mal de família...” Fala Chris, que fica vermelha ao perceber o olha incrédulo das amigas. “Ah, sem hacker por perto alguém tem que fazer piadas idiotas...”

Elas ficam em silencio mais uma vez. Até Protal falar. “Cronos, voce não pode localiza-los usando o seu poder?...”

“Medeia é uma bruxa poderosa, pode bloquear poderes mutantes, apenas pensando nisso.”

“Bom saber...” a mutante maroquina responde. “Que nosso poderes não vão ajudar em nada e que nossos amigos tem uma grande chance de morrer... Não sendo pessimista é claro...”

“Hecate...” Natureza finalmente fala olhando para Cronos.

Cronos sorri. “Magia só pode ser vencida por magia...”

Mas ave-de luz não aceita isso muito bem. “Voce só podem estar brincando?!” Ela grita andando de um lado para o outro... “Vocês já se esqueceram o que aquela bruxa fez com a gente?” ... Como um animal enjaulado... “Já se esqueceram de como ela quase nos sacrificou?...” Ela começa a brilhar. “Ou da vez que nos vez voltar a ser crianças?...” A sala fica super aquecida, ela está pronta para explodir. “Ou como ela amaldiçoou a minha ma...” A X-Premier se cala, levando a mão a cabeça, parece lembrar que essa historia elas não podem esquecer... Até por que elas não a conhecem.

“Como ela almodiçou a sua mãe a fica catatônica para sempre?” Cronos fala com calma, e da um meio sorriso. “Criança, acha que tem alguma coisa que acontece com vocês que eu não saiba?”

Mas ela não responde, fico olhando preplexa para a mulher a sua frente. Como ela pode saber da maçdição q não saber onde encontrar os outros.

“Mas isso é uma vantagem...” Cronos continua. “Por que voce sabe onde fica o esconderijo de Hecate e vai nos levar até lá!”

Ave-de-luz apenas balança a cabeça em sinal afirmativo.

-x-x-x-

A cama é macia, as cobertas envolvem o seu corpo mantendo o frio do lado de fora, mas mesmo assim o cheiro de comida pronta o obriga a acordar. O quarto é grande, assim como suas janelas que deixam o sol entrar de forma suave.

Joseph olha para os lados tentando reconhecer o lugar, mas tudo que consegue é um enorme dor de cabeça.

“Voce já acoredou...” Uma jovem mulher fala se aproximando da cama com uma bandeja de comida. “Pensei que ia dormir até mais tarde hoje, meu marido.”

“Marido?... Quem?...” Ele tenta perguntar.

“Eu falei para não beber muito na festa de ontem... Ms voce nunca me escuta...” Ela fala entregando para ele um copo de suco. “Mas como voce sempre diz: Um rei deve ser o primeiro a brindar...”

“E o ultimo a baixar o copo...” Ele fala sorrindo. “Ai minha cabeça... Medeia, me prometa que da próxima vez vamos ter menos vinho nessas festas...”

Mas ela não responde, apenas o abraça e deixa as lágrimas escorrem pelo seu rosto.

“Minha esposa?... O que foi?...” Ele fala a afastando delicatamente e enxugando suas lágrimas. “Sabe que não gosto de ver voce chorando...”

“Voce lembrou de mim...” Ela sorri para ele.

“E como eu poderia esquecer da minha própria esposa?... Desculpe se te preocupei, não vou tomar tanto vinho assim da próxima vez, está bem?”

“Jasão!” Ela se deixa abraçar, para depois puxar o roto dele na direção do dela e beika-lo.

“Ai!” Joseph leva a mão a cabeça e sente um dor profunta... Algo está errada, muito errado! Por poucos segundo ele vê a noite pelo lado de fora das grades, e o grande quarto ser tranformado numa pequena cela. “Quem...”

Mas Medeia e mais rápida, ela cobre o olho do X-Premier com as mãos e sente ele voltar dormir aos poucos. Abraçando-o, ela o beija no rosto e sorri. Mas sua alegria dura pouco quando olha para a própria mão e a vê se deterioranto, rapidamente ela fecha os olhos e entoa uma magia antiga e tudo parece voltar ao normal. “Preciso de mais poder... Para mante-lo dentro da ilusão eu... Preciso voltar a ter o poder que eu tinha antes de minha mãe me banir...”

Um sorriso funesto se forma nos lábios dela, o plano era matar os dois mutantes e obter a energia vital deles, como fez com os moradores da vila de sua receptora, mas ela pode conseguir muito mais que isso, basta acabr de vez com a riz de seus problemas.

“Escravos... Venham até aqui!” Duas sombras se aproximas da porta da cela e se curvam. “Vocês vão dizer ‘oi’ a minha adorável mamãe...”

-x-x-x-

As X-Premiers caminham por entre uma extensa mata no que rstou da floresta da Califronia.

“Tem certeza que ela está aqui?...” Chris pergnta. “Afinal ela é grega é...”

“gosta muito de privaciadade...” Responde de mal hummor Ave-de-luz. “Olha por que cargas d’água ela escolher morar aqui eu não sei... Mas mora... Preparem-se, estamos perto!”

Os cisco mulhers caminham mais um pouco até chegar uma clareira na mata, uma clareira vazia, sem nenhuma construção.

“Era aqui...” Ave-de-luz responde descrente. “Era bem aqui!... Não pode ter desaparecido sem deixar nenhum rastro!!!”

“Voce pode ter se confun...” Portal não consegue terminar a frase ao perceber o olhar assassino de Ave-de-luz. “Deixa pra lá...”

“ERA AQUI!” Ela grita.

“E talvez fosse...” Cronos fala caminhando em direção a clareira. “Talves fosse apenas uma entrada criada para voce naquele momento... Talvez...”

Mas a terra tremendo e o vento soprando de maneira estranha chama a sua atenção. No centro da grande clareiro está Natureza, voando, a baixo dela a dela começa de abrir e a se levantar em colunas. “se estiver aqui, eu encontro!”

Cronos não gostava daquilo, se continuase assim, Natureza podia perder a noção de seus poderes e criar um terremoto capaz de destruir as cidades vizinhas. “Natureza... Pare agora!” Mas a jovem não houve, e ronos começa a perceber algumas arvores perto da borda da lareira começarem a cair. Mal sinal.

“Natu...” Mas a palavra morre na sua boca ao ver Natureza sendo atingida por uma bola de energia que a faz voar floresta a dentro.

“Gosto dessa floresta... Dá muito trabalho proteje-la desse mortais estúpidos e suas cidades gisgantes.” A frente deles uma mansão aparece e na porta dele uma mulher sofisticatamente vestida. “Espero que voce tenham bons motivos para entrar em meus domínios... A não ser que venham atrás da morte...”

Hecate... E tudo que se passa na mente das quatro mulheres.

-x-x-x-

“Ai!” Natureza apóia um dos cotevelos no chão e olha pra o rastro de ravores quebradas que vez durante a queda. “Eu juro, se Hecate não fosse necessária agora, eu...” Ela ouve o barulho de passos, em seguida uma sobra se faz sobre ela, Olhando para cima, ela não acredita no que vÊ. “Pesadelo... Hacker... Mas...”

A espada de Hacker é rápida, Natureza só consegue se desfiar a tepo de evitar que a jugular seja rasgada, mas seu ombro não tem a mesma sorte. Olhando para os dois amigos ela percebe o olhar vazio e sem vida. “Deixa ver se eu adivinho... Medeia mandou um presentinho para a mãezinha querida dela...” A x-Premier se levanta com dificuldade. “Ótimo... Definitivamente eu to começando aodiar a Medeia...”

(Continua)

17 de abril de 2008

CQQ 14 - Mangás


O tema da edição #14 do Carnaval dos Quadrinhos das Quartas foi Mangás e hospedada no Reviews de Histórias em Quadrinhos. Confira os outros posts participantes:

15 de abril de 2008

Organização X - 6

Arte : Mosca

Organização X
Arco 2: Magia Arcaica
Parte 2 de 4: Medeia


A água quente cai sobre os ombros dele, fazendo os músculos cansados relaxarem. A fina camada de vapor que envolve o banheiro parece trazer um algo místico... Um algo místico?

Definitivamente ele está vendo filmes demais... Mas voltando o banho...

Ele põe a cabeça em baixo do chuveiro e deixa a água molhar todo o seu corpo, começando pelos seus cabelos brancos, passando por seu rosto másculo, tocando suavemente seus ombros, deslizando por seu abdome esculpido, lambendo sua masculinidade, lavando suas coxas e terminado em seus pés.

Ele encosta a cabeça no mármore a sua frente, fazendo a água voltar a banhar somente seus ombros. Ele respira fundo deixando-se relaxar, o som da água caindo é calmante, mas não é o único que ele escuta.

“Jasão...” Uma voz sussurra.

“Quem...”

“Jasão...” A voz feminina repete.

“Se for alguma brincadeira sua Se...” Mas ele não termina a frase.

Joseph sente uma mão passeando pelo seu peitoral, descendo até os seus mamilos e acariciando-os. “Mas... o ... que...?” Ele se surpreende quando sua própria voz começa a falhar...

“Eu estou aqui... Eu voltei para voce...” A vapor da água toma a forma de uma bela mulher, que envolve o pescoço do X-Premier e cola seus lábios com os dele.

Demora alguns segundo para ele reagir... O beijo é real, ele consegue sentir a língua que entra em sua boca, aproveitando a supressa gerada. Em seguida a ‘presença’ começa a beijar o queixo dele, descendo sedutoramente para o pescoço. Beijando suavemente o pomo de adão, para depois deslizar a língua até a junção do ombro com o pescoço, onde começa aplicar pequenas mordidas.

“Quem...?”

Ela ri contra o pescoço dele. “Aquela que sempre te amou...” Ela fala, já distribuindo beijos pelos músculos do peito. Se dirigindo até o mamilo ela lambe e sorri novamente. “Aquela a quem sempre você vai amar...” E morde-o.

Joseph suprime um grito. Aquilo não pode ser real. Não deve ser real. “Não...”

“Por que está tentando lutar contra mim?...” Ela fala agora descendo com sua língua pelo abdômen, sentindo cada músculo pular com a sua passagem. “Não pode... Não quer...”

Chegando no umbigo ela o circunda, com sua língua, lenta e suavemente, para depois desliza-la para dentro do mesmo.

“Ah...” Dessa vez nenhuma palavra de sentindo sai da boca do mutante.

“Eu te quero... E você...” Ela fala envolvendo o membro dele com sua mão. “Definitivamente me quer...”

Lentamente, com sua mão, ela começa movimentos de subida e descida. Seus lábios beijam com desejo a virilha.

“Não...” Ele tenta voltar a realidade mais uma vez, mas o seu corpo não deixa... O prazer é imenso. E aumenta ainda mais quando ele sente a boca dela substituir a mão.

Ela continua com movimentos ritmados e cada vez mais rápidos. Falta muito pouco... só mais um pouco e ela vai voltar a sentir o sabor dele, e ele vai voltar a ser dela, e só dela.

Mas um pouco... só mais um pouco... Só mais...

“JOSEPH!” O barulho da porta sendo arrebentada quebra o feitiço e o X-Premier cai de joelhos.

Sua respiração é funda, seu corpo treme, ele não consegue raciocinar direito. Tudo que ele sabe é que sua cabeça é amparada no colo de alguém e que uma mão doce passeia por seus cabelos molhados.

Demora alguns segundos para ele perceber a água caindo no corpo dele e que está pelado no banheiro com uma pessoa fazendo carinho no cabelo dele.

“Você está bem, galego?...”

Ele olha para cima, mas nem precisava, pela voz ele já sabia quem era... “Angie...” Ele deixa a cabeça cair novamente, antes de usar seus poderes para fechar o chuveiro. “Eu to pelado, sabia?...” Ele fala se sentando sobre os joelhos e cobrindo as partes.

Ela dá um sorriso suave e joga a tolha para ele. “Nada que eu não tenha visto antes...”

Joseph se levanta ainda tonto e coloca a toalha em volta da cintura. “Por que você entrou aqui?”

“Eu chamei você várias vezes... Pensei que tinha acontecido alguma coisa...” Ela fala seguindo ele para fora do banheiro da suíte e observando de longe ele pegar uma roupa para dormi, ou seja, uma samba-canção. “O que aconteceu?”

“Quando?...”

“Galego...?”

Mas ele não fala, ele nunca fala. Na mente dele começa a haver duvidas se tudo que aconteceu com ele a pouco tempo foi mentira, loucura... Talvez perder a sanidade seja efeito colateral de ser um clone. “Eu vou dormir...”

“Chris está esperando para ver o DVD... Ela disse que nada mais justo do que...”

“To com sono...” Ele fala já deitando na cama. “Amanhã eu... Deixa para amanhã...”

Angie deixa, ela apena fecha a porta atrás si quando sai do quarto.

-x-x-x-

Piranha... Maldita... Vagabunda!...

Como ela se atreveu atrapalhar?! Faltava tão pouco para ele... Então finalmente ele saberia que ele sentiu a falta dela... Como ela sentiu a dele...

Medeia pega a primeira coisa que vem a mão e joga contra o espelho, fazendo-o ruir em milhões de pedacinhos. Fazendo toda a casa de Toula acordar.

"Toula!" O pai da jovem aparece preocupada na porta do quarto dela. "Aconteceu alguma coisa querida?... O que houve?..." Ele fala abraçando a 'filha'. "Está tudo bem agora querida, seu patér está aqui..."

Medeia sorri, ela ainda está fraca... Mas nada melhor quem um bom sacrifício para trazer sua força de volta... Principalmente se ela matar uma vila inteira em seu próprio nome...

-x-x-x-

“PREMIERS! MINHA SALA AGORA!”

A voz de Cronos ecoa por todos aos quartos. Nem amanheceu o dia e algo muito ruim aconteceu.

Latifa, por motivos óbvios, é a primeira a chegar, seguida de Sid, Chris, Seiya, Angie, Joseph e Isaac.

Helena está olhando fixamente a janela, com um olhar de tristeza. Quando ela começa a falar a reação de cada um dos X-Premiers é diferente, mas todos concordam com uma coisa... Aquilo não podia ser verdade.

-x-x-x-

“Sangue em todo lugar...” A voz de Cronos ressoa na cabeça de Portal quando ela vê o sangue correr lentamente pelas ruas antigas.

“Um sacrifício...” Pesadelo lembra do que Cronos falou, ao olhar o altar construído de madeira.

“Eles tentaram fugir...” Ave-de-luz percebe o que Cronos quis disser ao ver alguns dos cadáveres amarrados e com sinais de luta.

“Pouca coisa restou para lembrar que ali tinha um povo...” Cronos estava certa, pelo menos é o que Hacker pensa ao ver as casas queimadas.

“Todos, absolutamente todos...” Chris chora ao ver o corpo de crianças mais jovens do que ela.

“Inocentes que apenas foram usados...” Os olhos de Cronos estavam cheios de lágrimas é isso que Joseph lembra quando percebe que símbolos antigos, alguns reconhece, são usados para a magia negra.

“Ela não devia ter voltado...” A voz de Cronos estava triste e Natureza entende o porquê que ao olhar para o símbolo cravado no altar...

“Medeia...” Ela fala quando todos se aproximam dela.

-x-x-x-

O sangue está cobrindo todo o seu corpo, que aos pouco parece absorver cada gota pelos poros.

Seu poder está voltando, nem precisa de espelho para ver os jovens que chegaram ao lugar do sacrifício. Apenas fecha os olhos.

Seu poder... Ainda falta... Precisa de alguém forte para completar as suas forças. Ela ri quando começa a declamar a canção dos cadáveres.

-x-x-x-

“Medeia?...” Chris pergunta.

Natureza não responde, apenas continua a olhar fixamente para o símbolo a sua frente.

Hacker para e pensa um pouco antes de responder. “Não foi aquela que matou os próprios filhos por vingança?”

Todos parecem concordar, mas... “Não... Eurípides recebeu suborno do governante de Corinto para narrar a historia assim... Todos os outros narradores e mitólogos concordam que os moradores de Corinto, a mesma cidade que chegou a adorá-la como deusa, matou os filhos dela. E Jasão, o marido que a abandonou não estava lá pra proteger os filhos...”

“Jasão?...” Joseph pergunta lembrado da voz que sussurrou para ele o mesmo nome a noite passada... “Quem...”

Mas todas as perguntas ficam suspensas quando um a um os mortos da vila começam a se levantar.

Sem esperar uma ordem os X-Premiers se separam e partem para a luta.

Apesar de não ter seus poderes, Chris luta com agilidade e eficiência, derrubando vários mortos de uma vez. Mas a alegria da adolescente dura pouco quando ela percebe que todos quem ela derrubou se levantam novamente para lutar. “Como se mata algo morto?”

Ave-se luz não tem esse problema. Apenas desintegra aqueles que tentam chegar perto dela usando seus canhões de luz. “Matando, oras...” Ela fala sem perceber um grupo de mortos se aproximar dela pelas costas e derruba-la no chão. Por alguns instantes parece que a mutante perderia essa batalha, mas logo se vê uma coluna de luz chegar aos céus, levando consigo milhares de corpos.

Portal se desvia usando seguidos portais de teletransporte. Ela sempre aprendeu que o corpo humano deve ser bem cuidado após a morte, deve ser purificado e enterrado corretamente, ela não pode simplesmente atacar ou destruir essas... essas... ‘pessoas’ assim. “Alá me diga o que fazer...” Mas antes que um dos mortos a atinja, um tornado se forma.

Natureza não está afim de brincadeiras. Ela está muito chateada... Ela adorava esse lugar, as pessoas, tudo era perfeito... Essa vila não precisava dessa destruição... Essas pessoas não deveriam morrer assim. Então ela apenas comanda o ar, o vento nada mais é que o ar em movimento, e um tornado são cones de ventos rotativos. Quando todos os cadáveres são pegos, uma coluna de fogo se junta ao tornado. Quando os dois acabam de existir, apenas as cinzas das vitimas caem suavemente na terra. “Do pó ao pó...”

As quatro meninas ficam em silencio observando as cinzas caíram.

“Isso é cinza de morto?...” Pergunta Portal.

“É...” Natureza responde.

“E ela esta caindo em cima de nós?...” Dessa vez foi Ave-de-luz.

“Isso...”

“ECA!” Fala Chris.

“Tirou as palavras de minha boca...” Portal sorri

“Um bom banho resolve isso...” Ri Ave-de-luz.

“Ahn, meninas...” Chirs fala sem jeito. “Onde estão os rapazes?”

Intuitivamente as quatro olham para todos os lados a procura dos amigos.

“Medeia...” Natureza conclui.

(Continua)

13 de abril de 2008

Descubra sua Alma-Gêmea na Marvel ou DC


Encontrei na Toca da Coruja um link para um joguinho super maneiro neste site. Você responde uma série de perguntas de perguntas e depois fica sabendo qual a sul alma gêmea no universo dos super herois (Marvel e DC). E tem personagens masculinos e femininos. O site está em inglês, mas dá pra responder. Aque les que entrarem no site poderima deixar nos comentarios o seu resultado. A minha cara metade super heróistica é a Mary Jane. Que o aranha não nos ouça mas fiquei tão entusiasmado que criei um post só pra ela.

Mary Jane - Imagens

12 de abril de 2008

Liga da Justiça 65


Lista de Presença

A edição 65 da liga da justiça já impressiona pela capa e marca o inicio de uma nova fase da liga. Após a conclusão do arco denominado , " O Rastro do Tornado", os participantes da quela aventura são conviados para integrar a nova formação da Liga da Justiça da América. São eles, Batman, Víxen, Mulher-gavião, Ricardito, Lanterna Verde, Canário Negro,Tornardo Vermelho, Raio Negro, Mulher Maravilha e Super Homem. Um dos pontos supreendentes da historia é a apresentação da "Sala da Justiça", isso mesmo aquela dos desenhos da TV. Só que desta vez o " Hall da Justiça" é uma especie de museu aberto a visitação e o QG da Liga continua sendo no satélite, com um teleporte intantaneo entre os dois QGs. A Historia é entremeada de lembraças das formações anteriores e de lembraças dos membros e ex-membros. Após a foto oficial é apresentado o prólogo da proxima aventura no qual fica indicado uma participação da Sociedade da Justiça e da Legião de Super Herois !!!! Vamos aguardar as próximas notícias.

Roteiro : Brad Meltzer e Desenhos : Ed Benes

No Abismo ! - Kid Amazo - Parte 1

Nesta trama conhecemos um rebelde universitário com ideias influenciadas por Nietzsch , apaixonado por sua namorada, que é suprendido com a revelação que todas as suas memórias são falsas e que nem é mesmo é humano , na verdade Frank Halloran é um ciborgue construido a partir do vilão Amazo como o objetivo de ajudá-lo na luta contra a LJA. Kid Amazo, como voi batizado por seu pai, acaba sabendo da verdade mais cedo do que estava programado e essa antecipação faz com que o seu ódio pela Liga não seja aceito por sua parte humana e faz com que Amazo tente a todo custo convencê-lo que é inimigo da LJA.

Roteiro : Peter Milligan e Desenhos : Carlos D'Anda

Homem e Super-Homem ! - Kid Amazo - Parte 2

Diante do potencial surgimento de um novo vilão a LJA passa a vigiar Frank Halloran de perto , sem se decidirem se devem ou não tooar uma atitude mais ofensiva, pois Kid Amazo mostrar que não pretende seguir a mesma carreira que se um progenitor robótico. Diante disso, Amazo atrai seu filho para abaixo da crosta terrestre provocando um grande abalo sísmico que seria capaz de destruir a cidade. A sua intença era que Kid Amazo, diante de seu poder percebese o quanto insignificante eram os seres humanos. Porém, a porção humanda Frank Halloran se sobresai a sua programação e diante da catástrofe ele tentar ajudar, para decepção de Amazo. Embora não tenha mostrado sinais de maldade, Kid Amazo pode ser tornar uma grande ameaça para Humanidade, pois a medida que seu poderes evoluem, sua mente caminha para mais completa insanidade.

Roteiro : Peter Milligan e Desenhos : Carlos D'Anda

O Mistério da Safira-Estrela - Parte 1

A entidade Safira-estrela retorna a corpo de Carol Ferris e como sempre parte em busca de Hall Jordan, o encontrando em um bar com uma outra mulher, Jillian Pearlman. No meio da batalha , safira percebe o interesse de Jordan por Lillian e possui o seu corpo, abandonando o Carol. A historia é muito fraca mas parece ser o preludia para uma trama mais consistente

Roteiro: Geoff Johns e Desenhos : Daniel Acuña

7 de abril de 2008

Pague com Cartão Corporativo

Uma das últimas grandes ideias do governo federal foi a instituição do cartão corporativo, que foi entregue aos funcionarios do poder legislativo, com o objetivo de dar mais transparência aos gastos públicos. Mas como de hábito, no Brasil tudo é transformado em vantagens pessoais , os servidores dos primeiro escalão do governo federal passara a se utilizar deo cartão apenas para gastos emergenciais, em instituições como cervejarias, tapiocarias, pizzarias e até em sex-shopings.
Para tentar minimizar o roubo em nossos bolsos, o Quadrideko está disponibilizando um cartão corporativo para todos os cidadão Brasileiros que queiram quitar suas dívidas. Basta clicar aqui preencher uma proposta e facilmente você será aceito. Portanto sigam o meu conselho :
>
PASSEM O CARTÃO !!!!
-

Atenção : Isto é uma piada. Não tentem usar este cartão

( Vai que alguém acredita !!! )

Organização X - 5

Arte : Mosca

Organização X
Arco 2: Magia Arcaica
Parte 1 de 4: Toula

“Minha mãe sempre me dizia que o maior bem que alguém poderia ter era o seu orgulho... Que aconteça o que acontecer você sempre teve ter orgulho de si mesma!”

O lugar: Um bar numa pequena vila portuária grega.

“Meu pai era diferente... Ele sempre dizia que a honra era a coisa mais importante do mundo...”

O horário: Perto das 16:00.

“Meu avô sempre acreditou que a família era o que valia a pena...”

As pessoas: um grupo de jovens com poderes extraordinários.

“Meu pai era romântico... Acreditava que o amor podia mudar o mundo...”

O motivo dessa reunião: Apenas um dia de folga entre amigos.

“Queria pode lembrar dos meus pais... Só lembro da voz da minha mãe cantando pra eu dormir...”

Eles são os X-Premiers, pode-se dizer que são a elite da Organização X. Os jovens estão em uma mesa redonda, falando apenas sobre aspectos normais da vida deles.

Ave-de-luz, ou Sid Potter, está tomando uma boa cerveja. Ela tem a habilidade se transformar em uma ave de energia e atirar canhões de luz com as mãos, não fale que o poder dela só tem utilidade no fim de ano.

Hacker, ou Seiya Himura, já preferiu um vinho branco seco. O nome dele diz tudo, pode se ligar psiquicamente / fisicamente com qualquer computador, a CIA odeia quando ele resolve fazer umas visitinhas no seu sistema.

Pesadelo, ou Isaac Sharon, em pleno verão está tomando uma cerveja preta. Materializa o pensamento de qualquer pessoa, inclusive o próprio, imagina ele numa festinha de final de ano de uma empresa... Ia ser engraçado.

Portal ou Latifa Said, como a religião islâmica não é muito favorável a bebidas alcoólicas, ela está tomando um belo suco de laranja. Cria portais de teletransporte que tem mil e uma utilidades, Seiya adoraria ter esse poder e invadir alguns vestiários femininos ou masculinos... ou os dois ao mesmo tempo.

Natureza, ou Maria Ângela “Angie” Silva Cavalcanti, como boa brasileira ela ama uma caipirinha, mas como está na Grécia está se servindo do ouzo, a bebida destilada grega, muito boa e forte. Fogo, água, terra ou ar, pode escolher qualquer deles, ela cria e controla com facilidade, mas ela gosta mesmo é de voar.

Joseph, apenas Joseph mesmo... Ou Joey para os mais íntimos. Ele é clone de Magneto, nem preciso disser quais são os poderes dele não é mesmo? Ah sim, você teve estar se perguntando o que ele estar bebendo... Licor de pêssego... Bem teoricamente, na verdade ele esqueceu o seu copo na mesa a um bom tempo. Seu olhar esta divagando, afinal diferente de seus amigos ele não pode falar nada sobre a família dele, já que não tem nenhuma.


......


Texto:Wah - Arte:Mosca

--------


Continua.....

2 de abril de 2008

CQQ 13 - Mortadelo e Salaminho

-
Mortadelo e Salaminho (Brasil) ; Mortadela e Salamão (Portugal) são dois personagens criados em 1957 pelo autor Espanhol Francisco Ibáñez, que eram, inicialmente, uma paródia de Sherlock Holmes e Dr. Watson. Tiveram sua primeira história publicada em 1958, na revista Pulgarcito, da Editorial Bruguera.
Mais tarde se consolidaram como dois detetives da T.I.A. (Técnicos de Investigações Aeroterráqueas), paródia da CIA) que se vêem metidos nas mais insólitas trapalhadas graças à má sorte do agente Salamão (Salaminho) e ao talento frequentemente inútil de Mortadela (Mortadelo) para os disfarces.
A bagunça começa quando nasce uma criança estranha. Por lembrar muito uma mortadela, seus pais lhe dão o nome de... Mortadelo! Quando cresce, ele passa a adorar se disfarçar e assustar a todos. Por isso, Mortadelo e sua família são expulsos de onde moram, indo para outra cidade. E neste local nasceu outro garoto complicado. Chamado Salaminho, ele demonstra não ter aptidão para nada que não seja aprontar grandes confusões. Mortadelo, já um jovem, arruma seu primeiro emprego como assistente do Professor Bactério, que desenvolve um experimento com um novo tipo de tônico capilar. O problema é que deixa Mortadelo completamente careca e revoltado!

Quando os dois jovens estão desesperados por um emprego, encontram o anúncio de uma agência que precisa de um chefe e assistente. Ambos mal se encontram pela primeira vez e já saem "na mão", disputando o cargo de chefia, que fica, em definitivo, com Salaminho.
Após falir a agência e destruí-la literalmente, encontram outro classificado: A T.I.A (Técnicos de Informação Avançada) está realizando um vestibular para agente secreto. Embora sejam reprovados em todos testes, como só os dois se apresentaram, conseguem os empregos.
Assim, se inicia a incrível carreira dos agentes secretos mais azarados e atrapalhados do palneta, sempre fazendo tudo da maneira errada, em meio aos engraçados e originais disfarces usados por Mortadelo, entre eles borboleta, caracol, cavaleiro, polvo, avestruz, ginasta, pescador, músico, árabe, e tudo aquilo que ele puder imaginar.
Em meio isso tudo, não podemos esquecer das mirabolantes invenções do Dr Bactério, quase sempre funcionam de maneira inesperada . E ainda a participação do Super, o chefão da TIA que sempre perde a paciência e vive socando os nossos heróis.e para dar um toque de romance a trama, foi criada a personagem Dona Ofélia, uma gorda secretária da agência, completamente apaixonada por Mortadelo, que não retribui esse amor. Por essas e outras, ela normalmente está correndo atrás da dupla, na tentativa constante de espancá-los.
=


-
Um dos atrativos das historias, e que a s mensagens entregues aos nossos agentes sempre chegam de forma completamente absurda e sempre se autodestroem de forma mais absurda ainda, como por exemplo, um rádio de pilha japonês, após passar a mensagem secreta ao agente, tem uma portinhola por onde sai um... japonês, que destrói o aparelho a machadadas e vai embora!
Um dos méritos da obra é a impressionante capacidade do autor de criar gags visuais, uma atrás da outra, em seqüências hilariantes. Embora ele se declare fã de Abott e Costello e de Chaplin, é difícil não comparar suas tramas também com séries como O Gordo e o Magro e Os Três Patetas.
Outro ponto divertido é que não faltam participações famosas nas histórias. Entre outros, o Príncipe Charles e o General Pinochet já deram as caras. Super-heróis também costumam fazer rápidas aparições, como o Super-Homem e Tarzan.
=


=
Por tudo isso, os personagens extrapolaram os limites de sua terra natal, e são conhecidos em paises como Finlândia, Itália, Dinamarca, Alemanha e Holanda.
No Brasil, a dupla foi publicada pela RGE (Editora Globo), numa coleção mensal que saiu em bancas, primeiro em formato grande e depois em formatinho, e também pela Editora Cedibra, em belíssimos álbuns, que causam acirradas disputas comerciais de colecionadores em sebos e sites de leilões virtuais.

-=
Ibáñez escreveu e desenhou já vários álbuns desta série, todos com o mesmo sentido de humor quase surreal, que se encontram traduzidos em diversas línguas mas desfrutam de enorme sucesso sobretudo na Península Ibérica.
Suas histórias foram vendidas ao redor do mundo. Recebendo diversas versões do seu nome original espanhol (Mortadelo y Filemón). Segue abaixo alguns dos nomes que estes simpáticos e atrapalhados agentes secretos recebem.

Paling & Ko em neerlandês
Flink och Fummel em sueco
Flip & Flop em dinamarquês
Mortadel et Filémon em francês (também Futt et Fil)
Fortune & Fortuni em italiano (também Mortadella e Filemone)
Αντιριξ και Συμφωνιξ (Antirix kai Symphonix, pronunciado Andirix ke Simfonix) em grego
Älli ja Tälli em finlandês
Clever & Smart em norueguês, checo e alemão
Zriki Svargla & Sule Globus em servo-croata
Mortadel•lo i Filemó em catalão
Dörtgöz ve Dazlak em turco
Mortadella em italiano (também Romano Prodi)

Além do sucesso com os quadrinhos , foi lançado em 2003, quando os personagens faziam 45 anos de criação, um filme para o cinema com uma adaptação incrivelmente fiel das aventuras e desventuras dos nossos azarados heróis,A GRANDE AVENTURA DE MORTADELO E SALAMINHO, que hoje já se encontra disponível em DVD.
.
Sinopse
.
O Professor Bactério (Janfri Topera) criou sua principal invenção, o DDT (Desmoralizador de Tropas), que pode também ser uma perigosa arma se cair em mãos erradas. É justamente o que acontece, quando a invenção é roubada por Nadiusko (Janusz Ziemniak), a mando do ditador da Tirania. Para recuperar o artefato é enviado Fredy Mazas (Dominique Pinon), o detetive mais qualificado da atualidade, que viaja disfarçado. Quando a agência secreta TIA recebe a notícia de que Mazas morreu, em seu lugar são enviados os atrapalhados agentes Mortadelo (Benito Pocino) e Salaminho (Pepe Viyuela), que com a ajuda de Ofelia (Berta Ojea) precisarão recuperar a invenção.
O Filme tem a direção de Javier Fesser, com roteiro de Javier Fesser e Guillermo Fesser, foi lançado na Espanha em 2003.

Elenco
=
Benito Pocino (Mortadelo)
Pepe Viyuela (Salaminho)
Dominique Pinon (Fredy Mazas)
Paco Sagarzazu (Calimero)
Janfri Topera (Prof. Bactério)
Berta Ojea (Ofelia)
María Isbert (Mentxu)
Emilio Gavira (Rompetechos)
Germán Montaner (Klaus)
Janusz Ziemniak (Nadiusko)
Paco Hidalgo (Toto)
Javier Aller (Mickey)
Mariano Venancio (Super)
=
Este filme ganhou 5 prêmios no Goya, nas seguintes categorias: Melhor Maquiagem, Melhor Edição, Melhor Desenho de Produção, Melhor Direção de Artes e Melhores Efeitos Especiais. Foi ainda indicado na categoria de Melhor Figurino.

Em 2008 a dupla estreou o seu segundo filme. MORTADELO E SALAMINHO – MISSÃO: SALVAR A TERRA, é o título da mais nova aventura cinematográfica dos agentes da T.I.A. que, como sempre, vão se meter em muitas confusões na missão que o título designa. A direção do filme está a cargo de Miguel Barden, com roteiro de Carlos Martin, Miguel Barden e Juan Vicente Pozuelo. A produção é da Zeta Audiovisual Y Ensuenõ Films. A produção estreou nos cinemas espanhóis no dia 25 de janeiro de 2007.


]-
-
Sinopse


Na trama, o mundo enfrenta uma crise sem precedentes quando um grupo de malfeitores começam a acabar com todas as reservas de água no planeta. Para piorar a situação, o perverso vilão Botijola pretende transformar a bebida que leva seu nome em uma substituta para a água natural, e para isso, ele precisa se livrar dos agentes secretos mundiais, que estão reunidos numa tentativa de solucionar e descobrir os causadores do caos mundial da água. Após arrasar com os agentes, Botijola necessita ainda de um milagroso aparelho inventado pelo gênio científico da T.I.A., o Profº Bactério, para levar seu plano adiante. Mas Bactério esconde as peças de sua máquina em diferentes períodos da história, graças a uma máquina do tempo. Cabe agora aos únicos agentes que sobraram, Mortadelo e Salaminho, resgatar o aparelho, com a mesma máquina do tempo, e frustrar os planos malignos de Botijola. A questão é se os dois atrapalhados agentes vão conseguir realizar sua missão sem bagunçar a história, e ainda serem capazes de encontrar e devolver as reservas de água roubadas do mundo.

.
-
Elenco
-
Eduard Soto (Mortadelo)
Pepe Viyuela (Salaminho)
Emilio Gavira (Miopinho)
Andrés Gash (Elton Matraca)
Berta Ojea (Ofélia)
Janfri Topera (Prof. Bactério)
Mariano Venancio (Super)
Berta Ojea (Ofelia)
Carmem Ruiz (Toribia, Irmã de Mortadelo)
Carlos Santos (Botijola, O Vilão)


-



Após mais de meio século, Mortadelo e Salaminho, os atrapalhados agentes da TIA,que transformaram-se na dupla mais famosa da banda desenhada espanhola, com 179 álbuns publicados, vendas na casa dos 150 milhões de títulos, publicações em 14 países, uma série de desenhos animados, 2 filmes em 2003 e 2008, são personagens que vão permanecer para sempre na memória dos fás dos atrapalhados agentes quase secretos.

-

Fontes:


  • Wikipédia
  • Universo HQ
    -
Visite também :

Este post faz parte da edição número 13 do Carnaval de Quadrinhos das Quartas, isso mesmo, 13, e para não dá azar, resolvemos escrever sobre o tema Sorte e Azar nos quadrinhos. Como você viram acima eu escrevi sobre uns dos agentes secretos mais azarados e atrapahados que eu conheço. Para ler os azarados escolhidos pelos outros blogs participantes clique nos links abaixo :

Gata Negra no Centurions

Diversos Heróis na Toca do Calango

Ruínas (Marvel) no O Busilis

Sortudos são Mutantes ? no Blog do Hiroshi

1 de abril de 2008

Organização X - 4

Arte : Mosca
Organização X
Arco 1: Admirável Mundo Mutante Novo
Parte 4 de 4 – Era uma vez...

Anos atrás na faculdade de Oxford, Inglaterra, uma moça é puxada com força para trás de um muro. A noite oculta o criminoso que rasga impiedosamente as roupas da jovem.

Ela grita, se debate, implora, chora, reza... Mas nada consegue atingir o bêbado que continua a despi-la e pressioná-la contra o muro. Nesse momento todo tempo parece parar, alias todo o tempo realmente pára. Uma jovem de cabelos tingidos de preto e olhos violetas olha para a cena, enojada.

A que ponto a humanidade chegou, onde um homem tem que forçar uma mulher para conseguir míseros minutos de prazer. Por um minuto ela pensa se não seria melhor se pessoas como ela assumissem o poder, se a tal raça humana não estaria melhor se fosse exterminada.

Ainda pensando nisso ela acha uma pedra pesada no chão, caminha até o sujeito embriagado e levanta a sua ‘arma’ acima da cabeça. Basta deixar cair com toda força na cabeça dele e pronto, estaria tudo acabado.

Você não quer fazer isso! A voz repete inúmeras vezes na cabeça dela. As lagrimas começam brotar nos seus olhos enquanto as lembranças da morte de sua irmã mais velha começam a surgir por trás dos olhos agora fechados.

Você não é igual a eles... A pedra cai de suas mãos e ela se vira, percebendo pela primeira vez o jovem universitário careca que olha preocupado para ela.

Você é igual a mim... Ela cai de joelhos e suas lagrimas agora molham seu rosto por completo. O jovem se aproxima dela e a ampara, deixando-a chorar no seu ombro.

Muito prazer Helena, eu sou Charles.

-x-x-x-

“Ela vai magoar você!” Helena grita de dentro do chuveiro, tirando o excesso de tinta que colore o cabelo.

“Pensei que gostasse de Moira...” Charles está no quarto da amiga acabando de se arrumar, em cima da cama encontrasse um buquê de rosas vermelhas. “Vocês duas parecem tão amigas, e afinal foi você que me apresentou a ela...”

É... E não tem um dia que Helena não se arrependa disso. Encostando a cabeça na parede, ela deixa a água cair pelas suas costas enquanto respira fundo impedindo as lágrimas de caírem. Nada melhor nessa vida que ficar apaixonada por seu melhor amigo.

“Helena...?”

“Só um minuto Charles já estou saindo...”

Charles espera pouco antes de ver a amiga sair do banheiro enrolada numa grande toalha felpuda. Ele dá um sorriso ao olhar o cabelo dela. “Sabe, eu prefiro prateado...”

Ela não fala nada só se aproxima e arruma a gravata dele, quando ele vai aprender a fazer uma gravata descente?

“Helena?...” Ela sente o rosto queimar ao perceber o quão próximos estão um do outro e entreabre os lábios quando vê Charles se aproximando cada vez mais.

Tão perto que os dois demoram alguns segundos para perceber o telefone tocando. Se afastando rapidamente do jovem a sua frente, Helena atende ao telefone. Charles consegue sentir as emoções que passam por ela, incerteza, tristeza, angustia, dor, perda.

Deixando-se cair sentada na cama ela só consegue murmurar um estou a caminho antes de desligar o telefone. Charles e aproxima e abraça a amiga.

“Eles morreram Charles... Meus pais...” As lagrimas caem antes de ela abraçar Charles com mais força.

“Está tudo bem... Eu estou aqui...”

Como se essas palavras a trouxessem de volta para a realidade ela se afasta rapidamente de Charles, indo para a porta de seu apartamento e abrindo-a. “Moira está esperando...”

“Helena, eu...”

“Você não vai estar aqui para sempre... Francis...” Ela dá um leve sorriso ao ver a cara que ele faz ao ouvir o nome do meio. “Eu preciso arrumar as malas e pegar um avião para Grécia.”

Charles sai lentamente do apartamento, parando do lado de fora da porta. Os lábios dele se mexem algumas vezes, mas nenhum som é emitido.

Helena se aproxima dele e encosta os seus lábios nos deles, em pouco tempo o beijo se torna profundo e os dois só se separam para buscar oxigênio. Helena sorri enquanto se afasta dos braços do homem que ama. “Adeus, Charles Xavier.” Em seguida bate a porta e vai arrumar suas malas.

-x-x-x-

Israel, Santa para uns, o inferno sobre a Terra para outros. No meio dessa terra ambígua e cheia de tradições Helena Palas desfruta de um bom ‘drink’ no bar do Hotel, enquanto o pianista toca uma canção que a faz lembrar de Oxford e do que ela deixou para trás a alguns anos.

Ela percebe um homem se sentar no balcão e pedir algo para beber e antes dele dizer alguma coisa ela fala. “Não... Não quero conhecer você melhor... Não quero falar do que eu gosto e muito menos quero conversar sobre a minha família”

“Você lê mentes, senhorita?”

“Não... Mas digamos que eu posso ver algumas coisas antes de acontecerem...”

O rapaz dá um sorriso sedutor e olha diretamente nos olhas dela. “E onde vamos estar dentro de 10 minutos?”

Ela se levanta sem tirar os olhos dele. “No seu quarto.” Ela fala caminhando em direção a saída. “Ah sim... Meu nome é Helena Palas...”

“Erik Lehnsherr...” Ele responde seguindo-a.

Helena não reclama da noite que teve, não é normal dela fazer isso, mas quando previu o que ia acontecer se ignorasse todas as regras de etiqueta impostas pela sociedade e se deixasse levar pela simples luxuria... Sorri

Ela sorri ao acordar ao lado do homem, delicadamente passa sua mão pelo tórax dele. Sorri mais ainda ao olhar para a porta do quarto. Rapidamente ela veste a blusa de Erik e abre a porta.

Diante dela um homem pára estático com a mão no ar, a intenção de bater na porta é totalmente esquecida.

“Bom dia...” Ela sorri marotamente “Francis...”

Charles não responde e um silêncio estranho fica entre eles. Silêncio quebrado por Erik que abraça Helena pelas costas e dá bom dia para o amigo.

-x-x-x-

Uma enfermeira acabava de fazer o ultimo curativo na mão de Helena quando Charles entra preocupado pela porta da enfermaria. Ele tinha acabado de voltar de um encontro com Gabrielle Haller quando viu a noticia de um atentado a sinagoga, exatamente a qual Erik e Helena tinha ido visitar.

“Helena o que houve?... Onde está Erik?”

Helena espera a enfermeira sair antes de responder. “Erik está bem, os médicos só acharam que ele precisava de alguns outros exames...” Ela respira fundo antes de continuar. “Eu previ o que ia acontecer antes de entrarmos... Nós vimos quem foi Charles... Foi uma única mulher...”

“Me mostre!” Charles fala fazendo uma ligação psíquica entre os dois, enquanto Helena utiliza seu poder de rever o passado para mostra-lo o que aconteceu.

Lilith, foi com esse nome que ela se apresentou quando ficou na frente de todos aqueles que visitavam o lugar. Ela sorriu ao falar que o Deus que eles veneravam lá era falso, fraco e impotente. Em seguida se apresentou como a nova deusa desse mundo e que todos tinham que se ajoelhar diante dela.

Mas a multidão não o fez, ao contrario começaram a se voltar contra ela.

Lilith destruiu as pilastras que seguravam o templo. Helena e Erik usaram seus poderes para ajudar.

Helena congelou o tempo, logo em seguida Erik fez um campo de força para segurar o teto, quando descongelou Helena guiou algumas poucas pessoas para fora da sinagoga. Mas Lilith foi mais rápida e derrubou os dois, fazendo o teto cair, eles só sobreviviram por terem sidos jogados para fora do templo quando Lilith os atacou. Todo o resto morreu. Dos escombros da sinagoga Lilith surgiu sorridente.

Charles rompe a ligação e olha assustado para a amiga. “Eu não sabia que Erik também era um mutante.”

“Não é isso que importa agora, Charles! Essa louca vai continua matando qualquer pessoa que for contra ela... Nós temos que impedi-la!”

“A minha garota está certa Charles...” Erik fala entrando no quarto, visivelmente abatido. “Temos que fazer alguma coisa...”

Charles ainda pensa um pouco antes de responder. “Sim... Temos que fazer algo... Mas não como Charles, Helena ou Erik...” Os outros dois ainda olham com suspeita para ele, mas deixam ele terminar de falar. “Me chamem de Psíquico X...” Ele fala estendendo a mão.

“Magnus...” Erik fala segurando a mão de Charles.

“Senhora do Tempo...” Dessa vez foi Helena colocando a mão dela sobre a dos outros dois. “E nós senhores, somos The Three!”

-x-x-x-

Lilith sobrevoa a cidade. Ela direciona a mão para uma mesquita que explode em seguida. Ela faz o mesmo com uma igreja católica e com uma sinagoga. A polícia tenta detê-la mas é em vão, depois veio o exercito que também falha.

Magnus voa em direção a ela. Utilizando as vigas de metal caídas no chão ele tenta captura-la, mas não consegue.

"Ora ora, se não é o tal de Magnus do The Three” Ela fala com desdém. “Acha que você sozinho vai me deter?" A cabeça de Lilith dói, ela sente que alguém está tentando entrar em sua mente.

"Ele não está sozinho" Psíquico X fala.

"Psíquico X, seu coração anseia pela paz... Você não é um guerreiro, é um coitado" Ela usa um ataque psíquico que derruba-o.

A mulher agora sente seu corpo parar, ela sente sua mente sendo jogada para fora do tempo."Você também, Senhora do Tempo? Acha que vai conseguir parar o tempo a minha volta?!"

Uma energia sai da mão da mulher para atingir Senhora do Tempo que é amparada por Magnus. "Será que vocês aberrações não entendem? Há quando meses vocês três lutam sem parar? Quando tempo acham que ainda vão agüentar?... EU SOU O FUTURO!!!! Serei eu que decidirei quem deve seguir nesse planeta... Eu ocuparei o lugar de Deus e corrigirei os erros dele!!"

"Você não é o futuro, muito menos Deus... É apenas uma cientista louca que alterou o próprio corpo!" Magnus fala se levantado. “E eu prefiro morrer aqui hoje, a viver para sempre ajoelhado aos seus pés!”

Tinha chegado à hora, nós últimos tempo eles passaram cada segundo que tinham articulando um plano contra Lilith, e se esse plano não funcionasse não havia mais nada o que eles poderiam fazer.

A luta recomeça. Os três lutam em total harmonia. Graças a um vinculo psíquico criado por Psíquico X eles estão compartilhando as mesmas emoções, os mesmos sentimentos. O tempo passa, eles não sabem se foram horas, minutos ou segundos, mas sentem que a luta está para terminar.
Magnus consegue paralisar o sangue para o cérebro dela. Ele não sabia que podia fazer isso, foi Psíquico X que chegou a essa conclusão.
Com o cérebro recebendo menos sangue e a vez da Senhora do tempo. Ela congela o tempo de Lilith que não voa, não se mexe, não respira. Seu corpo fica estático no céu.
O golpe final é de Charles, ele invade a mente dela e apaga-a.
A luta termina os três caem exaustos no chão Lilith foi vencida.

-x-x-x-

Helena abre os olhos calmamente e percebe que esta protegida nos braços de Erik. O sonho que ela teve na noite passada volta a passar pela sua mente. Era o que ela temia, não foi um sonho foi uma previsão.

Lilith não foi vencida, dentro de dois anos ela vai se recuperar, a derrota mostrou que ela não estava pronta. O corpo dela precisa de melhoras, ela precisa de pessoas lutando com ela... Não!... Pessoas lutando para ela!

Mas Lilith sabe que vão tentar impedi-la. Mutantes, eles vão ser seus principais rivais, precisa acabar com eles antes de mais nada.

Ela vai usar influência, dinheiro e morte para conseguir o que quer. Cinco anos depois de acordar Lilith já terá formado a Fundação e em pouco tempo, essa vai se tornar tão grande e tão poderosa que nenhum governo vai consegui derruba-la.

Erik e Charles vão tentar dete-la... Mas se isso acontecer eles...

Helena abraça Erik com força. Se ela ficar The Three vai crescer, a casa de Charles servirá de base, e os três vão ser professores de vários mutantes.

Ela pode ver e ouvir claramente, ela sabe o nomes deles. Ciclope, Natureza, Feiticeira Escarlate, Mercúrio, Tempestade, Psylock, Piro, Vampira, Estrela Polar, Míssil, Destrutor, Blink, Anjo, Fera, Ave-de-luz, Gambit, Homem-de-gelo, Miragem, Vulcano, Hacker, Sábia, Magia, Lince Negra, Portal, Windson, Cristal, Mímico, Magma, Homem-mutiplo, Escalpo, Karma, Noturno, Ms. Marvel, Lupina, Fortão, Higia... E tantos outros.

Uma grande escola, que iria prepará-los para serem heróis. Um grande equipe dividida em pequenas sub-equipes.

Uma grande família... Sem nem perceber Helena leva a mão ao ventre e sorri. Se esse futuro não fosse ameaçado, se Lilith realmente tivesse sido vencida...

Ela toma uma decisão, paralisando o tempo de toda a cidade, ela arruma as suas malas. Para evitar a vitória de Lilith, The Three deve deixar de existir agora. Para evitar que o mundo mergulhe nas sombras eternas, eles não podem juntos formar os X-men. Para salvar a vida dos dois homens que ela ama, Helena tem que sair da vida deles. Para vencer a Fundação, a Organização X tem existir.

“Adeus Erik, mas cedo ou mais tarde você irá conhecer Magda mesmo” Helena entra no carro e olha pra janela do quarto de Charles. “Adeus, Charles... Eu queria ter coragem de dizer que sempre foi você...”

-x-x-x-

Anos se passaram, a Organização X foi formada e a luta dela com a Fundação de Lilith ocorreu pelo submundo.

Helena há muito tempo deixou se ser a Senhora do Tempo. Agora como Cronos ela lidera 8 equipes, espalhadas pelo mundo. Da sua base principal, na Grécia ela joga contra Lilith um jogo de xadrez complexo.

Se ainda fosse somente a Fundação... Mas outros inimigos surgiram ao longo dos anos. As bases fora da Grécia se mostraram fortes e varias vezes auto-suficientes. E os X-Premiers, o orgulho de Cronos, mostraram o porquê de terem sidos escolhidos como elite.

Claro houve perdas, mortes, algumas até estúpidas demais. Lógico que eles já quiseram ajudar as outras super-equipes quando surgiram problemas mundiais, mas ainda não era hora de mexer nessa peça do tabuleiro.

“Helena...” A voz da jovem Chris tira Cronos dos seus pensamentos e lembranças.

“Desculpe, minha criança, você disse algo?”

“Joseph acabou de se comunicar...” Chris fala se aproximando da mesa. “Só faltavam eles então...”

“Então?...” Helena da um sorriso motivador para menina.

Chirs pega um controle e um quadro que se encontra no escritório de Helena se transforma numa tela “Sobre a África do Sul...” A adolescente espera Helena confirmar com a cabeça para continuar. “Hacker disse que vai demorar muito tempo ate eles conseguirem mandar um e-mail... Mas precisamente nunca... Ele acabou com os computadores graças a um vírus maluco que ele inventou e que carinhosamente chama de Idiota... Alem disso Rodrigues Nashion foi levado sobre custodia e proteção ao mesmo tempo... Ave-de-luz disse que ele vai ficar um tempo na base africana... Hacker e Ave-de-luz devem estar chegando a qualquer momento”

Helena balança a cabeça e espera que Chris continue o relatório.

“Austrália, terminou tudo bem. Foram retirados do laboratórios da Bay cerca de 1.000 mutantes, a maioria em péssimo estado de saúde... Como você pode ver a noticia foi matéria de capa nos principais jornais da Austrália, nos outros jornais do mundo que já saíram também... E eu nem falo da Internet e da televisão a CNN e a BBC não param de falar sobre isso... Ta rolando um boato das ações da bay caírem muito depois disso... e a lei que eles iam fazer lá ta meio que suspensa”

“Muito bom... E quando Pesadelo e Portal voltam?”

“Já estão a caminho, eles dormiram lá e festejaram junto com a equipe... Parece que Energia voltou para a equipe, mas Pesadelo não confirmou nada...”

“E no Brasil?”

“Como eu disse, Joseph acabou de se comunicar, pela segunda vez pra falar a verdade... O resultado da pesquisa foi entregue ao governo brasileiro... Nossa imagine um país daquele tamanho cheio de mutantes!!!... Mas bem Maresia levou a família Soares para a base inglesa... Ah! Joseph falou também que eles tiveram uns probleminhas com uns Droids, mas fora isso foi ate tranqüilo e Natureza ganhou alguma corrida ou aposta ou os dois. Joey não quis comentar muito sobre isso não, deixava ele irritado... Eles devem dormir lá e voltar pela manhã... Manhã de lá... Eu não faço idéia do fuso horario...”

“Tudo bem Chris, pode descansar, você não saiu de perto do comunicador. Vai dormir que quando você acordar tem treinamento...”

Chris dá um sorriso cansado e vai para o seu quarto deixando Cronos olhando a janela.

Com um sorriso nos lábios e os olhos fechado ela sussurra. “Xeque”

-x-x-x-

Sentada no seu trono, com seus mais três fieis súditos Lilith tenta entender o que aconteceu. Passando a mão pela mascara que cobre o rosto, desfigurado depois de varias modificações ao longo desses anos, ela respira fundo.

“O trabalho de vocês três é exatamente evitar esse tipo coisa... Fechem tudo, matem todos que sabem a respeito, isso inclui todos os funcionários da Fundação, tirando aqueles que trabalhem diretamente para mim!... Nós temos que sumir por uns tempos...”

Duas das figuras ajoelhadas se levantam e saem da sala, mas uma delas continua curvada diante daquela que considera uma deusa.

“O que foi, Íris?”

“Perdoe-me, minha divindade. Só queria dizer que o arquivo está a salvo, tirei antes do vírus se espalhar pelo computador.”

“Pesadelo foi atrás dele?”

“Sim, minha senhora...”

“Excelente... Agora vá e faço o que eu ordenei.” Ao perceber o olhar confuso que Íris possui ela responde. “Quando numa partida de xadrez não há mais nada pra evitar o xeque-mate, nos restam duas alternativas. Aceitar a derrota e pedir empate, ou virar o tabuleiro e acabar com tudo... Nós vamos virar o tabuleiro Íris, mas antes temos que limpa-lo.”


CONTINUA....