16 de janeiro de 2008

CQQ 04 - Themyscira - A Ilha Paraíso


Themyscira é um arquipélago situado em uma dimensão diferente da nossa, pertencente ao mundo das histórias em quadrinho da DC Comics, adaptado da mitologia grega. Somente os deuses gregos e a Mulher Maravilha (se estiver usando as sandálias de Hermes) podem transitar entre as duas dimensões.
É nesse arquipélago que fica a Ilha Paraíso, sede do arquipélago e onde ficam a maioria das amazonas e sua rainha Hipólita.
É lá também que fica uma das entradas para o Hades (inferno grego) habitado por inúmeros seres mitológicos. As amazonas foram "condenadas" após sua expulsão da grécia antiga a cuidarem para que esses seres não escapem jamais.
Há 30.000 anos atrás, um homem das cavernas mata sua companheira grávida. Seu espírito é levado por Gaia, a Deusa-terra, para a fonte das almas. Esta é a primeira de muitas almas que são recolhidas por Gaia ao longo do tempo, todas de mulheres injustamente assassinadas por homens.
Muito tempo depois, cinco deusas olímpicas, Ártemis, Athena, Demeter, Hestia, e Afrodite, selecionaram as almas recolhidas pela Deusa Gaia, e enviaram estas almas novamente para Terra para viver novamente em corpos fortes, perfeitos e imortais. Estas almas se transformaram nas Amazonas, cuja missão era ensinar as virtudes a todo mundo Patriarcal.
Ases Amazonas foram dados grande força física, beleza, sabedoria, amor, e sentidos altamente aguçados. Sendo seus corpos criados a partira da argila, elas partilham uma grande relação com a natureza. Eram governadas por duas irmãs, Hypólita e Antiope e fundaram a cidade-estado de Themyscira, na Ásia Menor.
Ares, o Deus da Guerra e principal inimigo das amazonas, manipulou os eventos de forma que Heracles pudesse seduzir e trair a Rainha Hypólita. Herácles, Theseu e seus homens subjugam Hipólita, Devastam Themyscira e fazem das Amazonas suas escravas sexuais. A deusa Athena concorda em ajuda as amazonas, mas com uma condição, elas não podem ir contra os seus princípios de virtude e se vingar de Herácles e seu captores. Após concordarem com os termos, Athena liberta as Amazonas de suas prisões. Porém, uma vez libertadas, as amazonas mataram a maioria de seus adversários. Pouco depois, Antiope lidera um grande exército de Amazonas contra a Grécia, buscando vingança contra Herácles.
Como punição por terem falhado em sua missão de levar a virtude ao mundo, as amazonas fiéis a Hipólita são levadas a uma ilha remota onde se tornam guardiãs do Hades e devem impedir a fugas dos monstros que ali vivem. Renomeado a ilha paradisíaca, como Themyscira, em homenagem a sua cidade destruída, as Amazonas iniciam a sua nova vida, erguendo edifícios e monumentos e aperfeiçoando suas habilidades como artesãs e guerreiras. Porém as algemas que as prendiam, permanecem em seus braços para lembrá-las de seu passado e de sua nova responsabilidade.
Nos anos que seguiram, era comum o aparecimento de crianças do mundo patriarcal, vítimas de naufrágio nas praias de Themyscira. Estas crianças eram cuidadas pelas Amazonas e devolvidas ilesas a suas famílias. Julia Kapatelis, uma menina grega, foi uma destas crianças.
Durante quase 3.000 anos, as Amazonas viveram sem serem molestadas pelo mundo exterior, até que, durante a segunda guerra mundial, a militar Diana Rockwell Trevor é encontrada nas costas de Themyscira e acaba morrendo para salvar um grupo de Amazonas de alguns monstros que estavam fugindo do Hades. As insígnias que Diana usava se transformaram em um símbolo de armas das amazonas.
Devido a grande solidão, a rainha Hypólita esculpe um bebê em barro. A estatua de barro é agraciada com vida e com o último espírito da Fonte das Almas de Gaia. E as deusas Olímpicas lhe presenteiam com poderes. Chamada de Diana ( em homenagem a Diana Trevor), a menina é a primeira criança a ser criada exclusivamente em Themyscira.
Anos mais tarde, o oráculo Menalippe descobre que Ares o Deus da Guerra, está de volta e planeja o planeta em uma guerra nuclear. Os deuses ploclamam que a maior campeã de Themyscira irá derrotar Ares. Vencendo a competição, contra a vontade de Hypólita, Diana recebe as vestes sagradas das amazonas e se aventura pelo mundo patriarcal, derrotando o Deus Ares e salvando o planeta da terceira guerra mundial. A partir daí Diana assume o nome de Mulher maravilha e com a ajuda de Julia Kapatelis, passa a pregar os ideais amazônicos de igualdade e coexistência pacifica entre as pessoas, pelo mundo patriarcal.
Ao regressar a Themyscira, Diana se encontra com Zeus, que quer se unir fisicamente a ela. Quando Diana recusa, Zeus lança sobre Diana o Desafio dos Deuses, durante o qual Diana destrói o portal dos monstros de Hades, como parte do desafio. Mais tarde, Diana ajuda a libertar Heracles de seu confinamento, que depois de pedir profundas desculpas as Amazonas, por seu comportamento, se torna o primeiro homem a pisar em Themyscira. Liberadas da missão de guardar o portal do Hades, as amazonas podem baixar suas armas pela primeira vez em 3.000 anos. Após a destruição do Olimpo por Darkseid, e mudança dos deuses para outro lugar, as amazonas são autorizadas a decidir seus próprios destinos e aceitam abrir a portas de Themyscira ao mundo exterior. Julia e Vanessa Kapatelis são umas das primeiras estrangeiras a pisar na ilha Paraíso.
Anos mais tarde, as amazonas egípcias, as Bana-Mighdall., descendentes de Antiope, após se unirem as Themycirianas, para derrotar Circe, passam a viver na ilha paraíso, apesar de suas diferenças.
Mais tarde, Themyscira é invadida por Darkseid e seus parademônios, em busca do segredo da imortalidade dos Deuses. Cerca de 1200 Amazonas são assassinadas e a ilha é deixada em ruínas. Como conseqüência, as amazonas sobreviventes, devido à ausência de seus criadores, os deuses olímpicos, retornam ao seu estado primordial de pedra. Até que o como o retorno dos deuses ao Olimpo, as amazonas retornam ao seu estado normal.
Após algum tempo, graças a uma manipulação do espírito Adriane, a assassina de Antiope, as Bana-Mighdall. e as Themyscirianas entram em uma guerra civil, devastando a ilha novamente. A guerra só termina com a renúncia de Hypólita ao trono real.
Mesmo sendo oponentes políticas, as duas facções das Amazonas se unem para combater o alienígena Imperiex. Nesta nova batalha a ilha é transportada desta dimensão e destruída. Com a ajuda da Mulher maravilha e da união das Amazonas o inimigo finalmente é derrotado, mas custas de grandes perdas nas duas tribos de Amazonas.
Após a ilha tinha sido destruída por Imperiex, Themyscira foi reconstruída e transportada, mais uma vez, desta vez para o triangulo das bermudas. A ilha foi reconstruída com tecnologia alienígena e graças aos poderes combinados das Deusas gregas e egípcias, transformando-se num grande conjunto de ilhas flutuantes, governada por membros de ambas as tribos de Amazonas.
Depois de algum tempo, a Nova Themyscira quase foi destruída graças aos ataques de ciúmes e ódio da Deusa Hera.Como conseqüência, as ilhas deixaram de flutuar no ar e se tornaram um aglomerado de ilhas comuns.
Recentemente, durante o evento “Crise Infinita”, a ilha sofreu um ataque das forças de OMAC. Após este e aos diversos outros ataques que a ilha sofreu, desde que Diana se tornou a Mulher Maravilha, ficou decidido em conjunto pelos deuses Olímpicos e Egípcios, que a ilha e seus habitantes seria transportada, para um local desconhecido, para que finalmente possa viver em Paz.



Primeira aparição :
All Star Comics # 8 (1941)

Criadores :
Dr. William Moulton Marston & Harry G. Peter

Fontes :
http://dreamers.com/dcsecretfiles/amazons_of_themyscira.htm


Este post faz parte da edição 4 do Carnaval de Quadrinhos das Quartas , que teve com tema desta semana :
" Em Algum Lugar nos Quadrinhos "